Paes assina decreto que transfere bairro da Glória para o Centro do Rio

Tradicional região da capital será administrada pela Subprefeitura do Centro e beneficiada pelos programas de recuperação da prefeitura

Bairro da Glória - Praça Paris - Foto: Rafa Pereira / Diário do Rio

O Prefeito do Rio, Eduardo Paes, assinou um decreto, na última segunda-feira, (16/01), declarando que o bairro da Glória será administrado pela Subprefeitura do Centro do Rio de Janeiro. Anteriormente, essa responsabilidade era da Subprefeitura da Zona Sul.

Ao DIÁRIO DO RIO, o subprefeito, Alberto Szafran, afirmou que a região será mais valorizada com a mudança e beneficiada pelo projeto Reviver Centro.

“O bairro da Glória tem a sua história intrinsecamente ligada com a da cidade. Área nobre, muito abatida pela mudança da capital federal para Brasília, está recuperando o brilho e a vitalidade que outrora a definiu. O prefeito Eduardo Paes tem investido no bairro e no seu potencial turístico. O Dias de Glória, idealizado pela nossa Secretaria Municipal de Turismo, está revitalizando a região e recuperando a sua beleza urbana. Integra-la administrativamente ao Centro da cidade do Rio, a coloca no patamar de protagonismo característico do bairro”, alega Szafran.

Foto: Reprodução

História

A origem do nome da bairro nasceu com a religião, pois o nome se deu por conta da Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro, construída no século XVIII. Em torno do templo religioso, a região se formou e consolidou-se.

No final do século XIX e durante o século XX, o bairro da Glória viveu momentos marcantes. Foi considerada uma das regiões mais nobres da cidade, devido à proximidade com o Catete e suas sedes do governo e os hotéis e prédios históricos existentes na Glória.

Atualmente, com a mesma importância de sempre, o bairro da Glória segue inspirando poesia e história.

Advertisement

10 COMENTÁRIOS

  1. Revitalização do Bairro da Glória – Dias de Glória.

    https://www.eduardopaes.com.br/prefeitura-realiza-serie-de-acoes-de-revitalizacao-no-bairro-da-gloria/

    Como ficará o bairro da Glória após ações de revitalização na região.

    Os serviços serão distribuídos por quatorze áreas, abrangendo locais como as avenidas Beira-Mar e Augusto Severo, o Largo da Glória e as ruas Antônio Mendes Campos, do Catete, do Russel, da Glória, Pedro Américo, Mestre Valentim e Teixeira de Freitas, com recuperação de pisos e árvores.

    A reforma da praça onde fica o monumento a Marechal Deodoro e a fresagem na Avenida Augusto Severo, e também na Rua Mestre Valentim, iniciaram no sábado (11) o projeto Dias de Glória, que prevê extensa revitalização na região da Glória.

    Além de fresagem e do recapeamento nas principais vias de circulação no entorno do bairro, garantindo o acesso a áreas históricas e turísticas da região, serão executados serviços regulares de manutenção, como recuperação de pisos em pedras portuguesas e cimento, recomposição de saibro e grama, reposição de grelhas e tampões e recuperação de golas de árvores.

    Ícones do bairro como a Murada da Glória, entre a Avenida Augusto Severo e a Rua da Glória, e a Amurada da Glória, na Rua do Russel, já estão sendo limpos e recuperados.

    “A Glória faz parte da história da fundação do Rio de Janeiro, pois foi cenário de batalhas entre portugueses e franceses pela posse da Baía de Guanabara. Suas belezas atraem turistas e encantam quem mora na cidade”, diz Anna Laura Valente Secco, secretária municipal de Conservação, chefe do órgão que está à frente dos trabalhos em parceria com a Secretaria Municipal de Turismo e a Subprefeitura da Zona Sul.

    P.S.: Só gostaria de saber se a prefeitura vai retirar estas centenas de moradores de rua que vivem no local, impossibilitando os que pagam impostos de frequentar estas áreas verdes da cidade

  2. Falou tudo Daniel.Nós moradores , não temos mais direito de descansar depois de uma semana de trabalho.Sem falar da violência ,o Rio infelizmente tá abandonado.Isso é triste.Aos sábados rolam bastante arrastões na Lapa.Os trabalhadores indo para o serviço e sendo assaltados.?

  3. Santa Teresa virando Lapa, agora a Glória. O Rio de Janeiro e suas pequenas máfias administrativas, e é claro a “décadence sans élégance”.

  4. Calma gente! Ninguém vai ter o seu imóvel desvalorizado. A Glória vai continuar sendo “zona sul”. Ele só está transferindo a Administração do bairro para a gestão da subprefeitura do centro. A dona Carolina Marques deveria conhecer (saber as razões) um pouquinho mais do esvaziamento do centro. Eu garanto a ela que não foi por causa do VLT. Realmente existe um aumento de pedintes, desocupados e outras coisas no centro do Rio e na Cidade como um todo. Há uma crise de gestão na área da assistência social. A Cinelândia é um exemplo disso. Noutro dia havia uma equipe da assistência social da Prefeitura, mas não adiantou de nada. Eles continuam lá. A crise é do Rio e não desse ou aquele Prefeito.

  5. Precisamos que cuide da Praça Paris e do Aterro, estão largados, seu prefeito. Tmb o Campo de Santana está jogado o portão da frente foi fechado, o que liga o parque à Central, prejudicando muitos transeuntes que a utilizam e deixando deserto o espaço lateral. Meu voto foi para o senhor, mas está muito a dever nessa gestão.

  6. Um verdadeiro absurdo! Esse prefeito so bagunça a cidade e não faz nada de util. O marco de saida do Centro para a Zona Sul é o passeio publico. Ele vai retirar essa memoria da cabeça dos cariocas? Não! Urbanismo é memória tbém. A mesma idioticie ele fez com ps onibus. Mudou tydo no primeiro mandato de prefeito. Ate hj me sinto perdida e nao sei que onibus passa em que lugar. Isso se chama irresponsabilidade urbanistica. Agora cade a Associaçao de moradores da Gloria? Cade os vereadores que permitem essas mudanças absurdas? O VLT matou todo o comercio do centro da cidade e ninguem se pronuncia!!

  7. Mudar de Subprefeitura de nada adianta, porque em todas prevalece a preferência pela baderna, desordem e média com a ‘turma do teatro’, como diria o saudoso Bussunda. Gastaram recursos do erário para reformar as praças do bairro (ainda estão reformando e gastando) mas para quê? Para nos finais de semana um monte de gente encher as jardineiras recém refeitas e plantadas com barracas, mesas e cadeiras, esticarem um lona gigante onde músicos ligam (não me perguntem como, porque não se vê um gerador de energia elétrica por perto!) caixas de som, mesa se som e microfones. Adentram a madrugada impedindo que a vizinhança tenha um dia sequer de descanso! Trabalhamos a semana inteira e quando achamos que teremos ao menos o domingo para descansar, eis que esse pessoal se locupleta do espaço público (cercam a praça com grades de metal e somente os camelôs que eles deixam armam suas barracas lá dentro) e passam o domingo todo ‘infernizando’ a vida dos moradores locais. O que começou anos atrás sendo uma baderna dominical, já passou, por conta de outros aproveitadores, a ser aos sábados também. Engraçado é ver reportagem em outro periódico aqui do Rio de Janeiro noticiando a reforma e os tais artistas reclamando que a praça estava abandonada e parecia mais um canteiro que uma praça! Eles foram em boa parte responsáveis por isso, quando passaram a fazer com que milhares de pessoas pisassem, sujassem e literalmente ‘detonassem’ o logradouro. Depois, largam o lixo para que a Comlurb (paga com o nosso imposto) limpe! Neste final de semana, colocaram os banheiros químicos perto do espaço infantil recém inaugurado. Enfim…é como eu digo para meus amigos: SE O BRASIL FOSSE UM APARTAMENTO, O RIO ERA O BANHEIRO E A LAPA/GLÓRIA SERIAM A LATRINA!

  8. Não consegue remover a sujeira do bairro é mais fácil juntar com a sujeira do Centro. Porque a Zona Sul é Top, não pode ter lixo, moradores de rua, ferro velho, depredação e outras coisas

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui