Parceria amplia ações de acolhimento, reabilitação e soltura de animais silvestres resgatados no Rio

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Ave será uma das beneficiadas por acordo entre Prefeitura e ONG. Foto: Marco Antonio Rezende / Prefeitura do Rio

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente, firmou um acordo de cooperação com a ONG Instituto Vida Livre para ampliar a infraestrutura de suporte para acolhimento, reabilitação e soltura de animais silvestres resgatados na cidade. Com isso, a Patrulha Ambiental poderá aumentar o número de operações de 2 mil para 3 mil animais resgatados por ano.

Pelo acordo, acertado na segunda-feira, 29/06, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente ganha mais uma opção de base para acolhimento de animais resgatados que necessitem de cuidados veterinários. Até aqui, a Patrulha Ambiental só dispunha do CRAS – Centro de Recuperação de Animais Silvestres, da Universidade Estácio de Sá, em Vargem Grande, para o atendimento de animais feridos.

O Instituto Vida Livre traz para esta parceria, além de sua sede no Jardim Botânico, Zona Sul da Cidade, mais sete áreas de solturas incluindo a do Pão de Açúcar, no Monumento Natural do Pão de Açúcar e Morro da Urca, e a da Reserva do Guará, na Ilha de Guaratiba, próximo ao Parque Estadual da Pedra Branca.

Na visita que fez nesta segunda-feira à Reserva do Guará, para celebrar o acordo com a ONG Vida Livre, o secretário de Meio Ambiente da Cidade, Bernardo Egas, aproveitou para introduzir Joaquina, a corujinha-do-mato que quase morreu atropelada na Ilha do Governador, em um viveiro na Reserva de Guará. Resgatada pela Patrulha Ambiental, a coruja foi recuperada pela equipe da ONG e está pronta para voltar à vida livre na natureza. Durante a visita, foram soltos uma araçari-poca, da família dos tucanos, um gambá e um periquito-maracanã.

Advertisement

Leia também

Águas do Rio alega não saber sobre situação da Cedae mas presidente foi diretor da empresa – Bastidores do Rio

Antiga garagem da Silveira Martins é vendida por R$19,7 milhões a incorporadora

Essa parceria vai permitir a ampliação da nossa capacidade de tratamento de animais silvestres, sempre com o foco em devolvê-los à natureza com saúde, afirmou Bernardo Egas.

O criador do Instituto Vida Livre, Roched Seba, comemorou o acordo com a Secretaria de Meio Ambiente ressaltando a linha de atuação da ONG.

O Instituto Vida Livre é uma organização não governamental que trabalha na reabilitação e soltura de animais silvestres em situação de risco no Rio de Janeiro. O acordo de cooperação técnica junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro é uma iniciativa que busca ampliar a capacidade de trabalho das duas instituições, afirmou Roched Seba.

50059913498 4024c84601 k 768x432 1 Parceria amplia ações de acolhimento, reabilitação e soltura de animais silvestres resgatados no Rio
Aves receberão acolhimento por meio de parceria. Foto: Marco Antonio Rezende / Prefeitura do Rio

Vida Livre

O Instituto, que nasceu como conceito no universo acadêmico da engenharia de produção na Coppe-UFRJ, em apenas 5 anos de trabalho conseguiu atender a mais de 9 mil animais. O trabalho é feito a partir das Áreas de Soltura de Animais Silvestres (ASAS) que são serviços que incluem plano de manejo, gestão, acompanhamento veterinário, exames, e monitoramento pós-soltura.

As cidades nascem na floresta e é nosso dever considerar a sobrevivência e o direito de vida e liberdade dos nossos vizinhos, que são os moradores mais antigos do espaço que compartilhamos, justifica Roched Seba.

Bico de Tucana em 3D

O Instituto Vida Livre nasceu da dedicação e da pesquisa científica de Roched Seba, e o maior destaque obtido em cinco anos de trabalho foi a recuperação de uma tucana-de-bico-preto que teve seu bico mutilado enquanto era traficada em uma feira livre. Ela foi apreendida e encaminhada para o Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama-RJ. Foi lá que a equipe do Instituto Vida Livre a encontrou em 2015 e desenvolveu e coordenou um trabalho de pesquisa e reestruturação de seu bico em parceria com a UFRJ, PUC-Rio, Ibama, Universidade Anhanguera e Matéria Brasil.

Foi criada uma prótese de bico a partir da tecnologia de impressão 3D, que foi implantada cirurgicamente no animal garantindo à Tieta qualidade de vida e bem-estar até sua morte por causas naturais em 2018.

50059912278 b675b6181f k 1536x864 1 Parceria amplia ações de acolhimento, reabilitação e soltura de animais silvestres resgatados no Rio
Equipe faz soltura de ave. Foto: Marco Antonio Rezende / Prefeitura do Rio

Patrulha Ambiental

Todo o esforço da Prefeitura do Rio para garantir a preservação da biodiversidade e a defesa do meio ambiente da cidade, está concentrado na ação da Patrulha Ambiental. Formada por guardas municipais do Grupamento de Defesa Ambiental, da Guarda Municipal, e por fiscais da Secretaria de Meio Ambiente, a Patrulha Ambiental atende a chamados que chegam pelo telefone 1746 com denúncias de danos ao meio ambiente e pedidos para resgate de animais silvestres.

Por ano, a Patrulha Ambiental realiza mais de 2 mil operações resgatando animais silvestres e fiscalizando ações de desmatamento, incêndios criminosos em áreas de preservação. Agora, por conta da parceria com a ONG Vida Livre, a capacidade da Patrulha Ambiental de resgate de animais será ampliada, aumentando as chances de sobrevivência dos bichos que são encontrados atropelados ou vítimas do tráfico de animais.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Parceria amplia ações de acolhimento, reabilitação e soltura de animais silvestres resgatados no Rio

Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui