Por André Delacerda

Parreira Ser torcedor de um dos times mais antológicos do Brasil, é sensacional, eu confesso, tricolor vai da alegria a tristeza, é levado a fortes emoções dentro e fora do campo a todo instante. Acho que não existe em solo nacional, um time como o nosso tricolor carioca, o tricolor do tradicional bairro das laranjeiras, que faz com que sua amada torcida, sofra, vibre e se emocione a cada momento.

 

Não podemos esquecer a lista de personalidades que torcem pelo Fluminense, já até comentamos em um post aqui no Diário do Rio. No último ano foram emoções a toda prova, a cada jogo da Libertadores um espetáculo e que dirá aquela final épica que o Maracanã talvez nunca vá assistir e vá ser o palco novamente. Teve também o quase rebaixamento, que tirou o sono e cabelo de muito tricolor, e olha minha calvície está aumentando, deve ser as fortes emoções tricolores. Mas futebol é isso, amor, paixão, arte, alegrias e tristezas. Um dia se ganha, um dia se perde. Futebol também virou uma cifra, uma grande vitrine.

Neste início de ano tivemos a volta do grande Thiago Neves, o bom filho a sua casa retorna. A novela do Fred tendo o final feliz nesta última quinta-feira. E a saída do técnico René Simões. Para completar esse início de ano repleto de fortes emoções. Tem a chegada de Parreira, um dos tricolores mais ilustre e que inclusive já ajudou o Fluminense em horas difíceis. E agora, tem como principal missão levar o Fluminense a continuar com a hegemonia do campeonato Carioca, e quem saber ser bicampeão da Copa do Brasil e assim, conseguir uma vaga mais cedo para à Libertadores.

 

Bem, é isso, seja bem vindo Parreira, nossa torcida te abraça. Como muitos dizem, você é teimoso. Mas nos dizemos, foi sua teimosia que fez o Brasil tetracampeão mundial.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui