Passistas de samba passam a ser Patrimônio Cultural Imaterial do Estado

Lei de Dani Monteiro sancionada pelo governador Cláudio Castro exalta o Carnaval e a ala que traz o samba no pé

Desfile das Escolas de Samba, 2022 - Abril de 22 | Foto: Rafa Pereira - Diário do Rio

O governador Cláudio Castro (PL) sancionou a Lei 9.684/22, de autoria da deputada Dani Monteiro (PSol), e foi publicada nesta terça-feira (17/05) no Diário Oficial, que declara passistas de samba como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado do Rio de Janeiro. Além de exaltar a ala que traz o samba no pé e alegria a todos que assistem ao maior espetáculo da Terra, a iniciativa é mais um reconhecimento da importância do Carnaval para a cultura e a sociedade fluminense.

O Carnaval não é somente uma festa. É uma celebração repleta de significados para a cultura e a sociedade, além de movimentar a economia e ser responsável pela renda de muitas famílias. Os e as passistas fazem parte desse contexto e também representam o verdadeiro samba no pé. Por isso, merecem esse reconhecimento“, declarou Cláudio Castro.

Em janeiro, o governador declarou, pela Lei 9.588/22, o mestre-sala e a porta-bandeira Patrimônio Cultural de natureza imaterial do Rio de Janeiro.  Em abril, ele sancionou outra norma que reconheceu o Sambódromo da Marquês de Sapucaí Patrimônio Material do Estado, com a finalidade de preservar a cultura do samba, da música e da história do Carnaval.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui