Pesquisas realizadas pelo Instituto Iguape, em três cidades do interior, Santa Maria Madalena (331 entrevistas), São Pedro da Aldeia (460 entrevistas) e Silva Jardim (380 entrevistas), todas com margem de erro anunciadas de 4,9%, fazem mais um recorte da realidade na intenção de votos para governador, em 2022. Nas três, Anthony Garotinho lidera. O ex-governador ainda não decidiu se corre na majoritária ou se vem a deputado federal.

Tem um recall grande do Garotinho no interior”, avalia José Marcos, diretor do Iguape, que tem tradição de sondagens na Região dos Lagos. “Tem muita obra que ele fez no interior e muita gente de Campos migrou para esses lados”.

As pesquisas foram para o campo de 16 a 26 de agosto e tiveram uma cartela no modelo estimulado com os candidatos Anthony Garotinho (Sem Partido), Claudio Castro (PL), General Hamilton Mourão (PRTB), Marcelo Freixo (PSB), Rodrigo Neves (PDT) e Felipe Santa Cruz (Sem Partido). Os resultados são os abaixo:

SILVA JARDIM

  • Anthony Garotinho – 17,6%
  • Claudio Castro – 8,9%
  • General Hamilton Mourão – 7,4%
  • Rodrigo Neves – 2,6%
  • Marcelo Freixo – 1,1%
  • Felipe Santa Cruz – 0,8%
  • Nulo/Branco – 6,8%
  • Não sabe/Não opinou – 54,7%

SANTA MARIA MADALENA

  • Anthony Garotinho – 16,3%
  • Claudio Castro – 5,4%
  • General Hamilton Mourão – 3,9%
  • Marcelo Freixo – 3%
  • Rodrigo Neves – 1,2%
  • Felipe Santa Cruz – 0%
  • Nulo/Branco – 5,1%
  • Não sabe/Não opinou – 65%

SÃO PEDRO DA ALDEIA

  • Anthony Garotinho – 21,3%
  • General Hamilton Mourão – 14,8%
  • Claudio Castro – 5,7%
  • Marcelo Freixo – 2 %
  • Rodrigo Neves – 1,5%
  • Felipe Santa Cruz – 0,7%
  • Nulo/Branco – 10,2%
  • Não sabe/Não opinou – 43,9%

As pesquisas, que não condensam o forte eleitorado, seja da Região dos Lagos e cercanias, seja do Norte Fluminense, são apenas mais um pedaço da configuração que se avizinha. O retrato é claro: há espaço para um candidato popular (Garotinho), um candidato de centro direita (dividido entre Castro e Mourão) e um de esquerda (Freixo). Com Garotinho disputando uma vaga no Congresso, abriria-se um flanco para um nome forte de recall. Mourão, decerto, não será candidato a governador, mas seus números divulgados em várias pesquisas distintas travam claramente o crescimento de Castro. Está tudo aberto.

É a eleição a governador mais insípida dos últimos 20 anos. Não tem combate ainda definido. Não tem projeto claro de ninguém. Existem apenas ensaios. Ensaios que podem levar o estado do Rio a novas experiências – ou mais do mesmo.

15 COMENTÁRIOS

  1. Muita água ainda vai rolar…
    Mas não podemos usar água suja para sanear o tal de Menininho e o Zé Roela defensor de chincheiros …!!!
    Meu candidato não aparece aí nas pesquisas mas será candidato pelo PTB…!!!
    Nele eu confio…!!!

  2. Eu voto com convicção no Claudio Castro. Tem feito um bom governo, sem querer aparecer na mídia como fizeram os antecessores.

  3. Alguém ainda acredita em alguma pesquisa?!? Pelas pesquisas, Bolsonaro nunca teria sido eleito…. Witzel aparecia com 2% e quase foi eleito no primeiro turno com 47% kkkkkkkk… incrível como é ridícula essa tentativa vergonhosa de direcionamento do eleitor… já passou essa época kkkkkkk

    • cidades lá pro lado de onde judas perdeu as botas, mas capaz do Garotinho ter mais votos que isso. Meu avô, eleitor da Jandira Feghali, sempre votou no Garotinho e vota de novo se ele concorrer. O cara tem popularidade com gnt mais velha, e teve um governo bem melhor que os q o sucederam

      Claro, longe de mim entregar meu voto pro clã garotinho, mas é a realidade. Ele deve tentar deputado federal msm se estiver elegível

  4. Não acredito que estão querendo eleger garotinho , será que ainda não aprenderam a votar chega de corrupto o cara anos atrás distribui muito vale gás , vale do bolsa família nas favelas que fica na linha vermelha comprou muito voto pela barriga . Bj

  5. Aposto meu salário como a globolixo vai tentar derrubar a candidatura dele como sempre faz!.Pois é o único que tem disposição pra peitar vc a globolixo. Tá feita a aposta.

  6. A capital só emplacou dois governadores do Rio de Janeiro: Marcello Alencar e Sérgio Cabral Filho. E prefeito da capital, apenas o primeiro nome emplacou. A maioria dos governadores foi do interior do Estado ou até de fora: Moreira franco, Brizola, Witzel e Castro são forasteiros. Por questões históricas, há ainda uma divisão entre as partes do Estado. Bem provável mesmo que a pintura da corrida eleitoral no interior seja bem diferente da opinião daqui das ruas do Rio de Janeiro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui