Foto: Reprodução

A cidade do Rio de janeiro tem mais de 200 mil vacinados até o momento. Profissionais da saúde e idosos estão nesta lista. Ainda falta muita gente para que os resultados sejam alcançados. Em meio a essas tantas pessoas que precisam ser vacinadas o mais rápido possível estão aquelas que, por alguma condição de saúde, não conseguem sair de casa. E essas estão enfrentando dificuldades para se vacinar.

Bernardo Lucas, que tem uma tia acamada, com idade para ser vacinada, não conseguiu agendar a imunização.

Mandei e-mail para solicitar para vacinar ela em casa e falaram que dura 30 dias para responder a solicitação, muito absurdo”, afirmou Bernardo.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) informou que está vacinando em casa os idosos acamados com 80 anos ou mais.

A vacinação em domicílio para pacientes acamados é feita mediante solicitação da família, na unidade de saúde, pelo e-mail agendamentovacinacovid@rio.rj.gov.br ou pelo formulário disponível no link smsrio.org/agendamentovacina. A partir da solicitação, a família receberá o retorno da unidade para agendamento, disse a SMS.

A Prefeitura destacou, ainda, que já foram ministradas mais de 3 mil dosses para idosos acamados.

Contudo, o DIÁRIO DO RIO recebeu relatos de mais pessoas que não conseguiram agendar a vacinação em casa.

“A gente faz o cadastro no site, onde já encontrei dificuldades, não é bem divulgado, e estão dando um tempo longo para responder o pedido. A gente se preocupa. Quero ver minha mãe vacinada logo”, destaca Glória Souza, filha de Dona Silvia, de 85 anos, que está acamada devido à um grave problema na coluna.

Sobre a situação, que se estende a todo o estado, a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou, em primeira discussão, nesta quarta-feira (10/02), o projeto de lei 931/19, do deputado Giovani Ratinho (PROS), que assegura a vacinação domiciliar para idosos, pessoas com dificuldade deficiência motora, multideficiência profunda, síndrome de down, autismo, ou transtorno de desenvolvimento grave que afeta a comunicação ou interação e doenças incapacitantes ou degenerativas. O texto retorna ao plenário para mais uma votação.

Segundo o projeto, além do endereço residencial, essas pessoas poderão ser vacinadas em instituições públicas ou organizações não governamentais. A medida só será válida durante períodos de campanhas de vacinação e precisará ser regulamentada pelo Executivo.

“A vacinação é um método preventivo eficaz para se evitarem diversas doenças. Porém, as difíceis situações enfrentadas pelas pessoas idosas e deficientes físicos têm dificultado ou impedido o acesso a esse serviço prestado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), que segue o cronograma estabelecido pelo Ministério da Saúde”, afirmou Ratinho.

1 COMENTÁRIO

  1. Bom dia , meu nome é Rosangela e minha irmã não tem condições de mobilização e irá fazer 64 anos dia 25 de abril e já está chegando o dia da vacinação na sua faixa etária e eu estou preocupada de como fazer para agendar a sua vacinação em casa, Desde já agradeço a atenção, Moro na Gavea na Rua Major Rubens Vaz nº 122 a fundos casa 18 atrás do Corpo de Bombeiros e da 15ª DP.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui