Petrópolis: 2 anos após tragédia, Prefeitura corre para concluir cerca de 80 obras de prevenção

Um investimento total de mais de R$ 100 milhões foi destinado a essas intervenções, com a região do Alto da Serra, a mais afetada pela tragédia

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Dois anos se passaram desde a maior tragédia climática da história de Petrópolis, quando deslizamentos de terra resultaram na perda de 242 vidas, sendo 235 em 15 de fevereiro de 2022 e sete em 20 de março do mesmo ano. Desde então, o município continua a enfrentar desafios monumentais na reconstrução e na garantia da segurança de seus moradores.

Neste período, o cenário na cidade tem sido de obras em curso, tanto em áreas onde as intervenções foram concluídas quanto em locais onde os trabalhos ainda estão em andamento ou sequer iniciaram. Em meio a esse panorama, duas regiões particularmente afetadas pelo desastre emergem como focos de esforços de reconstrução: o Morro da Oficina e o Chácara Flora.

img 4645 1 Petrópolis: 2 anos após tragédia, Prefeitura corre para concluir cerca de 80 obras de prevenção
Foto: Divulgação

No Morro da Oficina, a prioridade tem sido a implementação de obras de contenção para recuperar uma área que foi totalmente devastada por deslizamentos, resultando na perda de dezenas de residências e quase uma centena de vidas humanas. A necessidade urgente de evacuar o local e evitar que as pessoas retornem a uma área de alto risco levou ao pagamento de compensações financeiras às famílias que anteriormente habitavam a região.

Em setembro do ano passado, iniciou-se a demolição de residências para permitir avanços nas obras de contenção. Cerca de 245 famílias receberam compensações financeiras, variando entre R$ 90 mil e R$ 230 mil. No entanto, aproximadamente 50 famílias da Rua Frei Leão, cujas casas foram devastadas, ainda lutam pelo recebimento da compensação, subsistindo apenas com o Aluguel Social, que atualmente é de R$ 1.000, sendo R$ 800 provenientes do Governo do Estado e R$ 200 da Prefeitura.

Advertisement

Cinco pontos na área da Chácara Flora estão atualmente em obras, incluindo áreas da Vila Felipe. Um investimento total de mais de R$ 100 milhões foi destinado a essas intervenções, com a região do Alto da Serra, a mais afetada pela tragédia, recebendo a maior parte dessas obras.

Apesar dos esforços em andamento, Petrópolis continua em um estado de recuperação contínua. O governo municipal identificou a necessidade de realizar 192 obras de médio e grande porte pós-chuva. Até o momento, 115 foram concluídas, 51 estão em andamento e 26 estão em fase de licitação.

Essas obras estão distribuídas em três áreas distintas: a Área 1, entre o Hipershopping e a Rua Hercília Moret; a Área 2, entre as ruas Professora Hercília Moret e Frei Leão; e a Área 3, do início da Rua Frei Leão até a Rua Oswero Vilaça.

Na Área 1, onde uma barreira dinâmica foi construída no topo da encosta, 78% dos trabalhos estão em andamento. Além disso, a região de Vila Felipe, Sargento Boening e Chácara Flora está recebendo obras de contenção de rua, drenagem e recomposição viária.

O número de famílias que receberam o Aluguel Social após a tragédia de fevereiro e março de 2022 chegou a cerca de quatro mil. No entanto, atualmente, mais de três mil famílias continuam recebendo essa assistência. De acordo com a Prefeitura, esse número varia mensalmente devido a suspensões, verificações rotineiras da secretaria e solicitações tardias de assistência.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Petrópolis: 2 anos após tragédia, Prefeitura corre para concluir cerca de 80 obras de prevenção
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui