Petrópolis: projeto de novo transporte turístico segue estagnado após 5 anos do fim das charretes

A ideia era substituir as charretes de tração animal, proibidas em 2019, por veículos motorizados e sustentáveis no Centro Histórico do município

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: CPTrans

A cidade de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, conhecida por suas raízes imperiais e aristocráticas, completou cinco anos desde o fim das tradicionais charretes de tração animal que por décadas marcaram os passeios na Cidade Imperial. O decreto da Prefeitura em março de 2019, após um plebiscito que contou com a participação de 117 mil pessoas, marcou o encerramento das atividades das charretes, em um movimento voltado para a preservação da saúde dos animais e a organização do trânsito no município.

No entanto, a transição para um novo modelo de transporte turístico, que deveria ter sido implementado em 2021, ainda não saiu do papel. O projeto visava substituir as charretes por um veículo moderno que mantivesse o charme e a funcionalidade do antigo meio de transporte, enquanto atendia aos requisitos de segurança e sustentabilidade. Os primeiros testes com o novo veículo foram realizados em 2019, junto com outras alternativas como o bike tour, tuc-tuc, jeep e veículos vintage.

Após um chamamento público aberto pela Companhia Petropolitana de Trânsito (CPTrans), 12 empresas se cadastraram para operar o serviço turístico proposto. A expectativa era de uma circulação regular, das sextas aos domingos, das 10h às 18h, levando visitantes a conhecerem os encantos e a história da cidade de forma mais confortável e sustentável. A cidade, que tem uma localização estratégica próxima à capital, sempre atraiu visitantes em busca de seu charme histórico, suas construções centenárias e a temperatura amena. O novo modelo de transporte turístico prometia ser uma atração a mais no Centro Histórico do município.

Advertisement
Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Petrópolis: projeto de novo transporte turístico segue estagnado após 5 anos do fim das charretes
Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. E como ficou a vida dos carroceiros? Que se danem, né? Tiraram o sustento deles e ficou por isso mesmo? Como vocês são bonzinhos! Sabe como se chama isso? Histeria. Os cavalos maltratados deveriam ter sido retirados e os outros substituídos aos poucos, conforme o novo modelo ia sendo implantado. Até parece que os carroceiros estavam ricos de tanto passeio, cheios da grana, sempre com as carrocinhas lotadas de turistas pelas inúmeras viagens! E os cavalos exaustos de carregar tanto turista. Só que não…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui