PM usará câmeras de reconhecimento facial na Região da Lapa

Ao todo, a Polícia Militar terá acesso às vinte e uma câmeras de monitoramento que estão espalhadas na região

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto Cleomir Tavares / Diario do Rio

A Políca Militar passará a ter acesso as cãmeras de monitoramento facial instaladas na Região da Lapa, no Centro do Rio. O uso do equipamento por parte da PM é fruto de uma parceria com a Prefeitura para que a corporação possa ter acesso às câmeras do Centro de Operações do Rio (COR) instaladas no bairro. A iniciativa integra o plano de ampliação do sistema de videomonitoramento urbano com reconhecimento facial da Polícia.

O acordo no compartilhamento das imagens vai permitir que a PM tenha acesso as vinte e uma câmeras de monitoramento que estão espalhadas na região, que é um dos cartões postais do Rio de Janeiro e local de diversos eventos culturais que recebem cariocas e turistas. Até o momento o recurso está disponível em treze das 21 câmeras na região.

Ao ser localizado no sistema de reconhecimento facial, um alerta é enviado para a equipe policial mais próxima da pessoa, que será abordada e presa em caso de confirmação de sua identidade e possíveis pendências judiciais.

Esta é mais uma etapa do processo de ampliação do sistema de videomonitoramento iniciado no réveillon de 2023, que é mais uma medida de prevenção no combate à criminalidade, visando o aumento da sensação de segurança da população. O investimento do Governo do Estado no sistema foi de R$ 18 milhões, entre equipamentos e softwares.

Advertisement

Leia também

Terminal Gentileza começa a operar para população; veja detalhes

Pedro Paulo cada vez mais certo como vice de Eduardo Paes – Bastidores do Rio

No início do ano, o sistema foi testado no réveillon, em Copacabana e, posteriormente, a PM anunciou que pretende usá-lo no entorno do Sambódomo no carnaval. Alguns erros de sistema, entretanto, já ocorreram e pessoas detidas tiveram que ser soltas – em vários dos casos o mandado de prisão pelo qual era foi reconhecida já não eram mais válidos.

Para tentar minimizar o problema, no dia 5 de janeiro, a Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro informou que pretendia ampliar o banco de dados utilizado para identificar suspeitos.

Atualmente, a Secretaria de Segurança usa apenas os dados do Sistema de Cadastro de Mandados de Prisão da Polícia Civil. Porém, o Tribunal de Justiça do Rio entende que o sistema utilizado deveria contar com os dados do Banco Nacional de Mandados de Prisão.

A integração do banco de dados da Polícia Civil com o da Justiça Federal atende uma decisão do Conselho Nacional de Justiça. Segundo o órgão, esses dados são atualizados com as decisões de magistrados de todo o Brasil.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp PM usará câmeras de reconhecimento facial na Região da Lapa

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui