Foto: Divulgação

A Polícia Civildo Rio firmou uma parceria com agentes de segurança franceses tendo como objetivo a troca de experiência no combate a pedofilia pela internet. Chamado de Acadepol – Police Judiciaire de France (OCRVP – Office Central pour la Répression de Violences aux Personnes), a ação é um acordo entre a Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol) com a Polícia Judiciária da França.

O Intercâmbio irá capacitar 30 policiais civis para atuarem em investigações de combate à exploração de menores, especialmente na questão da porno pedofilia pela internet, visando a otimização das técnicas de combate à exploração sexual infantil.

O curso acontece até sexta-feira (18/10) na Academia de Polícia e tem previsão de 40h. As aulas serão ministradas pela brigadeiro Sophie Bazard e pela capitã Katie Steel, da Polícia Judiciária Francesa.

Essa é a primeira de muitas atividades que serão realizadas entre a Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro e a Polícia Judiciária da França. A Capacitação e a troca de informações é salutar para ambas as partes. Esse é um crime que não tem fronteiras. É necessário que tenhamos uma visão diferenciada para essa forma de comunicação, para esse tipo de crime, e por isso se faz tão necessário essa interlocução entre as instituições“, afirmou Ricardo Barboza, chefe de Gabinete da Secretaria de Estado de Polícia Civil.

Esse curso é fruto da iniciativa do delegado Ricardo Barboza, que nos procurou na Embaixada da França e nos convenceu sobre a importância dessa parceria e da cooperação técnica. As aulas serão ministradas por duas policiais francesas que trabalham em uma unidade que atua unicamente no combate à pedofilia. Todo trabalho que realizamos lá será demonstrado aqui. Essa é a primeira de muitas parcerias que teremos“, declarou Serge Giordano, representante da Polícia Judiciária Francesa.

Para a diretora daAcademia de Polícia, Renata Teixeira, essa é uma ótima oportunidade para que os policiais da Secretaria de Estado de Polícia Civil recebam conhecimento e orientações de outro país no combate à pedofilia.

Tenho certeza de que esse intercâmbio vai permitir que nossos policiais saiam daqui com um pouco mais de conhecimento sobre o assunto e possam levar esse aprendizado não só para as suas unidades, mas para a vida profissional“, concluiu.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui