Polícia indicia quatro empresários por contaminação química do Rio Guandu

Os acusados são sócios e diretores da empresa Burn Indústria e Comércio, de Queimados, que fabrica produtos como sabão e lava-louças

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Espuma no Rio Guandu: despejo irregular prejudicou 11 milhões de pessoas (TV Globo/Reprodução)

Quatro pessoas foram indiciadas pela contaminação do Rio Guandu, que causou a paralisação no abastecimento de água na Região Metropolitana do Rio, em agosto de 2023. Os acusados de crime ambiental são sócios da empresa Burn Indústria e Comércio, de Queimados, na Baixada Fluminense, que fabrica produtos como sabão e lava-louças.

A análise das amostras coletadas comprovou que as substâncias emitidas pela Burn eram as mesmas que obrigaram a paralisação no fornecimento na maior estação de tratamento de água do mundo. Na época, a Cedae identificou vários focos de espuma branca e fechou a captação das piscinas de filtragem, para segurança da população

Em nota, a empresa negou relação com o problema, afirmando que contratou especialistas para auditoria e se colocando à disposição para esclarecimentos. “Os laudos técnicos demonstram que a fábrica está a 11 quilômetros de distância do sistema do Guandu seguindo o fluxo do rio e que seria necessário o despejo de 83,5 toneladas de detergente, de uma só vez – o equivalente a 167 mil embalagens – para provocar aquela espuma, considerando a vazão do rio”, diz trecho da nota.

Advertisement
Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Polícia indicia quatro empresários por contaminação química do Rio Guandu
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui