Polícia Civil do RJ investiga empresas suspeitas de aplicar golpes da falsa cremação de animais domésticos

Em um dos casos, o tutor de uma gata pagou pelo serviço e, ao entrar em contato com o crematório, descobriu que o corpo do seu animal não passou por lá

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Imagem meramente ilustrativa de viatura da Polícia Civil do RJ - Foto: Divulgação

Para muitas pessoas o sofrimento causado pela morte de um animal de estimação se assemelha à perda de uma pessoa querida. Tratar do destino dos restos mortais do bichinho também pode representar uma outra etapa dolorosa na vida dos tutores. Apesar de toda a dor envolvida, ainda tem que gente que faz pouco caso do assunto e ainda lucra com isso.

A Polícia Civil, através da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), investiga nove empresas suspeitas de aplicar golpe da falsa cremação em famílias de pets, que solicitaram e pagaram pelo procedimento, que muitas vezes é caro.

A farsa foi descoberta por agentes da DPMA, após denúncias de tutores, que verificaram discrepâncias entre as informações prestadas pelas empresas e os registros de crematórios. Em um dos casos, o tutor de uma gata teria recebido a informação de que o certificado de cremação seria entregue pela empresa em um prazo de 30 dias. Ao receber o documento, o tutor reconheceu algumas incoerências de informação e decidiu entrar em contato com o crematório, que teria negado que o corpo do animal tivesse dado entrada em suas dependências. A família da gatinha decidiu, então, procurar a Polícia Civil, onde descobriu que há outros casos semelhantes sendo investigados.

O delegado da DPMA, Wellington Vieira, destacou as empresas suspeitas estão sendo catalogadas e seus responsáveis intimados a prestar esclarecimentos. “Não há fraude comprovada, mas há investigação sobre possíveis fraudes. As empresas que se propõe a prestar o referido serviço serão chamadas na DPMA para averiguação da regularidade. As pessoas devem indagar sobre essa regulamentação antes de contratar o serviço”, disse o delegado, acrescentando que o tutor deve exigir regulamentação por parte da prestadora de serviço de cremação de animais de estimação.

Advertisement

No Estado do Rio de Janeiro há somente seis crematórios regulamentados para realizar o procedimento em animais de estimação: dois deles na capital. Duque de Caxias, São Gonçalo, Macaé e Maricá contam com um crematório cada.

“A falta de regularidade é o primeiro indício de que a pessoa está na iminência de ser enganada. (…) Logo se a empresa não tem essa regulamentação pode estar praticando fraudes”, explicou o titular da DPMA.

As informações são do jornal O DIA.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Polícia Civil do RJ investiga empresas suspeitas de aplicar golpes da falsa cremação de animais domésticos
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui