Políticos do Rio de Janeiro se manifestam sobre invasões terroristas e vandalismo em Brasília

Governador Cláudio Castro, prefeito Eduardo Paes, deputada estadual Dani Monteiro, entre outros, falaram sobre o ocorrido na capital do país no último domingo (08)

Acampamento bolsonarista em frente ao Comando Militar do Leste, no Centro do Rio - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Representantes eleitos de todas as esferas de poder e colorações ideológicas/partidárias do Rio de Janeiro se manifestaram contra os atos criminosos, violentos, antidemocráticos e de vandalismo que aconteceram em Brasília no último domingo (08/01).

O governador Cláudio Castro (PL) reprovou a invasão e disse que ”atitudes como essas mancham a imagem do Brasil e não contribuem em nada para o nosso futuro”.

”Em um ambiente democrático, as cenas que vemos em Brasília são inadmissíveis. Atitudes como essas mancham a imagem do Brasil e não contribuem em nada para o nosso futuro. Manifestações pacíficas fazem parte da democracia, vandalismo não! Reitero meu compromisso com a ordem democrática – hoje e sempre. Seremos enérgicos contra toda e qualquer manifestação que não respeite os patrimônios público e privado, e o direito de ir e vir dos cidadãos do RJ”, disse.

Já o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), classificou os atos como ”terrorismo” e afirmou que ”deve-se aplicar a lei e a força”.

”Inaceitável o que acontece em Brasília nesse momento. Isso não é manifestação, é terrorismo e atentado à democracia. Para essa gente deve-se aplicar a lei e a força, monopólio do Estado. Qualquer passividade [o que parece já ter acontecido] é crime. Rigor da lei já”, comentou Paes.

Presidente da Assembleia Legislativa do RJ (Alerj), o deputado estadual André Ceciliano (PT) se manifestou em nome da Casa. Segundo ele, ”a Alerj repudia os atos terroristas que aconteceram no último domingo em Brasília e reforça a sua posição na defesa incondicional do Estado Democrático de Direito”. O parlamentar também ressaltou que ”a manifestação pacífica faz parte da democracia, mas não podemos tolerar ataques às instituições do país e ao patrimônio público”.

A também deputada estadual Dani Monteiro (PSOL), por sua vez, afirmou que é ”impossível mensurar o tamanho da destruição que os ‘cidadãos de bem’ promoveram nos prédios do Congresso, Planalto e Supremo”. Ainda segundo ela, ”não há nenhuma condição onde o que acontece em Brasília hoje seja aceitável. É absurdo. Imoral. Um escárnio com a democracia e com o patrimônio público”.

João Pires, suplente do PSD na Alerj, frisou que ”é inaceitável que qualquer cidadão faça parte de movimentos como esse, seja ele de esquerda ou de direita. Nosso bem maior é a nossa democracia”. O parlamentar também afirmou que ”é ainda mais grave quando autoridades estão envolvidas em casos como esse” e que ”a única saída neste momento é aplicar com rigor as punições devidas”.

O Governo do Estado e a Prefeitura do Rio colocaram de prontidão as forças de segurança para monitorar e conter eventuais atos semelhantes na capital fluminense.

Vale ressaltar que o acampamento bolsonarista montado em frente ao Comando Militar do Leste, próximo à Central do Brasil, no Centro do Rio, foi desmontado nesta segunda-feira (09/01).

Advertisement

11 COMENTÁRIOS

  1. 1? Terrorismo nenhum, terrorismo é da torre gêmeas-EUA, 2? Bolsonaro sem culpa nenhuma, 3? Virou palanque eleitoral futuro, 3? O povo ñ esquece dos traidores, 4? Patriotas enganados pelos infiltrados, exército-traíra, 4? Estranho ñ ter policiamento, 5? Reunião do Ditador Moraes com Polícias do DF, possível trato p/deixar o caos, 6? Intervenção em Brasília p/intimidar governadores anti-pt, 7? Risco de intervenção nos outros acaso venha uma manifestação Patriótica, 8? Brasil a deriva de uma desvalorização mundial, 9? Povo oprimido e mortes dilaceradas, 10? Ruína da economia e dás família pobres classe C D E F, 11? Q o diabo é Deus se unam mesmo sendo inimigos e ñ permitam.

  2. Fico realmente chateado quando vejo todas postagens da imprensa falando só sobre o efeito, ninguém publica nada sobre a causa de tanta indignação na população, será que foi o resultado das urnas onde não houve auditoria que comprovasse a lisura do pleito ou estão indignados com as atitudes ditatoriais do nosso MINISTRO CHEFE DE TUDO.

    • Concordo plenamente. Não são bolsonaristas. São pessoas que lutam pela liberdade de expressão e manifestação. Se houve violência, não foi dos manifestantes que deram exemplo de disciplina e comportamento social durante mais de 60 dias. Tem que averiguar que praticou as violências. A internet mostra muitos deles. Só não vê quem não quer. São gente de bem, famílias, crianças e os donos do Brasil resolveram jogá-los em um ginásio sem alimentação, sem água e sem banheiros, levando alguns a passarem mal, sem socorro próximo e até a óbito. Se na posse desse governo que se diz de inclusão, deixaram muitos sem água, nenhuma acessibilidade para deficientes, o que não dizer do povo que não votou neles.

    • Cadê minha resposta a esse comentário, Diário do Rio? Não gostaram? Censuraram? Mereço saber. Vcs mandam para meu email, participo das pesquisas e não aceitam meus comentários?

  3. Esse Governador Cláudio Castro, está seguindo os mesmos passos do seu antecessor que foi cassado, ou seja, o caminho da traição do partido e dos conservadores; mais um traidor dos conservadores; se vendeu ao sistema e receberá nas urnas o pagto correspondente a sua traição.

  4. Concordo inteiramente que é preciso condenar e, principalmente, punir os responsáveis e os participantes do que aconteceu no DF, porém fico pasmo da população, dos políticos e da nossa justiça não terem a mesma reação de repúdio e cobrança contra a ROUBALHEIRA e a IMPUNIDADE reinantes aqui no país dos jeitinhos. Fazem e continuarão fazendo porque a certeza é da impunidade total, basta ter dinheiro e/ou poder e tudo se resolve.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui