Preços dos imóveis no Rio ficam abaixo da inflação nos últimos 12 meses, segundo Imovelweb

Segundo o relatório mensal da plataforma, a Zona Sul continua sendo a região mais valorizada da cidade para venda e locação de imóveis, e a Barra da Tijuca sofreu um forte recuo no valor dos alugueis.

Orla do Leblon (Reprodução)

Os preços dos imóveis para venda e para a locação aqui na cidade maravilhosa ficaram abaixo da inflação no estado do Rio de Janeiro. A informação consta no relatório mensal produzido pela Imovelweb, um dos maiores portais do mercado imobiliário do Brasil e uma referência no mercado imobiliário. O período analisado é de 12 meses.

O preço médio de um imóvel para venda na cidade do Rio de Janeiro é de R$ 8.798,00 por cada metro quadrado construído, segundo informa o portal, que foi recentemente comprado pela startup Quinto Andar . Em 2021, o valor dos imóveis sofreu um acréscimo de 2,4%, índice muito abaixo da inflação registrada no mesmo período: 10,8%. Dessa forma, o preço dos imóveis vendidos na cidade sofreu uma queda real de 8,4%, em comparação com o índice inflacionário oficial.

O que é importante que se entenda ao ouvir estes números é que o preço dos imóveis não caiu no Rio. Apenas não subiram conforme a inflação, até porque a inflação foi muito grande no ano que passou, em praticamente todo o mundo. Mas o custo da construção segue aumentando a cada dia, e é óbvio que isso vai puxar o preço dos imóveis usados“, disse ao DIÁRIO DO RIO a executiva Lucy Dobbin, superintendente da Sergio Castro Imóveis.

No levantamento por regiões, a Zona Sul figura como a área mais valorizada do Rio de Janeiro – por larguíssima vantagem, com preço médio de R$ 13.397 por m². A Zona Oeste, por sua vez, é a mais barata de todas as regiões da cidade, custando R$ 3.534 por m². No comparativo entre os bairros da capital, o Leblon ainda continua sendo a área mais cara da cidade, com o m² médio custando R$ 21.516. No extremo oposto, está o bairro de Turiaçu, na Zona Norte, R$ 2.275/m².

Os proprietários de imóveis sentiram no bolso os impactos corrosivos da inflação na hora de alugar um apartamento. Durante o período avaliado pelo Imovelweb, o preço médio do aluguel mensal para apartamentos de dois quartos registrou alta 2,1% no mês, com o aluguel custando R$ 1.940,00. Sendo que, nos últimos 12 meses, os valores registram um aumento de 0,8%, índice muito abaixo da inflação. O valor do aluguel de uma unidade de 2 quartos sofreu, assim, um desvalorização real de 10%.

Na análise para o valor dos aluguéis por regiões, a Zona Sul continua no topo das áreas mais valorizadas da cidade, com o valor médio do aluguel custando R$ 2.771 por mês. A Zona Oeste é a mais econômica também na locação, sendo que os preços dos aluguéis na Barra da Tijuca registram um forte recuo no período analisado pelo portal imobiliário.

O índice de rentabilidade imobiliária –  métrica na qual é verificado quanto tempo de aluguel é necessário para que um proprietário recupere o valor da aquisição do imóvel – foi de 4,33% bruto anual, em fevereiro de 2022. Ou seja, serão – na média – necessários 23,1 anos de aluguel para que o proprietário do imóvel tenha reembolsado o investimento de compra da unidade. Na prática, houve recuo de 6,7% em relação ao ano passado. 

No comparativo por região, porém, as Zonas Norte e Oeste são as que mais oferecem retorno aos investidores que buscam renda. Para os investidores que buscam arrendamento, Engenho da Rainha e Pedra de Guaratiba são os melhores alternativas, de acordo com o relatório do Imovelweb. “Na verdade, fica bem claro pela análise dos números que as unidades econômicas residenciais oferecem maior retorno sobre o capital investido do que as mais luxuosas. Porém, administrar mais imóveis ao mesmo tempo dá muito mais trabalho“, disse Dobbin.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui