Prefeito de Miguel Pereira, André Português afirma que vai transformar a cidade na ‘Gramado fluminense’

Ao DIÁRIO DO RIO, o prefeito comentou os investimentos na cidade, a ponte que rompeu no dia da virada de ano, os recentes deslizamentos de terra, entre outros assuntos, como o turismo

Foto Daniel Martins/Diário do Rio

Reeleito para a Prefeitura do Município de Miguel Pereira em 2020 com 83,22% (13.251 votos), André Português, do PSC, fala com orgulho de sua gestão à frente da cidade da Região Serrana do estado do Rio de Janeiro.

Em entrevista ao DIÁRIO DO RIO, realizada na tarde da última segunda-feira, 09/01, o prefeito comentou os investimentos públicos e privados, a ponte que rompeu no dia da virada de ano, os recentes deslizamentos de terra, entre outros assuntos, como o turismo – um dos principais focos de sua gestão.

Foto Daniel Martins/Diário do Rio

DIÁRIO DO RIO: Miguel Pereira, hoje, é uma cidade bem avaliada por indicadores externos e internos. A que o senhor atribui esses resultados?

André Português: Nos preparamos muito para governar Miguel Pereira dando ênfase ao que a cidade tem de maior vocação, que é o turismo. Planejamos e preparamos equipamentos para que a cidade fique ainda mais forte nesse setor. Temos uma meta de receber cinco milhões de turistas por ano. Um dos exemplos é o Parque dos Dinossauros, que é o grande projeto de turismo do Rio e do Brasil no momento. É o maior parque de dinossauros do mundo, com 1 milhão e 400 mil metros quadrados. E o segredo é que juntamos entretenimento à natureza. Esse 1 milhão e 400 mil metros ficam em área de mata atlântica e colocamos lá a magia dos dinossauros, que é um assunto que não prescreve. Com isso, vamos trazer só no parque um milhão de turistas por ano.

DIÁRIO DO RIO: Essa meta do número de turistas está sendo alcançada?

André Português: Temos indicadores que mostram que estamos passando grandes cidades turísticas do estado do Rio em número de visitantes, turistas. Muito por conta do Parque dos Dinossauros.

DIÁRIO DO RIO: Quais as outras iniciativas que sua gestão está realizando para o turismo em Miguel Pereira?

André Português: Acabamos de inaugurar a Rua Coberta, um projeto inspirado na cidade de Gramado. Nossa intenção é transformar Miguel Pereira na Gramado fluminense. E a Rua Coberta é um ponto alto de Gramado. Em Miguel Pereira são 10 restaurantes, dois panorâmicos, e duas salas de cinema. E vamos inaugurar a Maria Fumaça, no fim de fevereiro. Miguel Pereira ser a primeira cidade brasileira com trem turístico. O fim do percurso da Maria Fumaça vai ser na Rua Coberta, de frente para os restaurantes e cafés. Só a Maria Fumaça vai levar 920 mil turistas por ano para Miguel Pereira. Em junho, vamos inaugurar o Parque das Aves, uma área de soltura de pássaros que vai levar mais de 700 mil turistas para a cidade todos os anos, com restaurantes temáticos, diversão para as crianças. Criamos, também, um projeto que é a Serra Mais Bonita do Brasil, no acesso à cidade, que tem quase 12 km e plantamos 2.380 ipês amarelos e com isso teremos, todos os anos, por 30 dias, um espetáculo natural provocado pelas cores dos ipês.

DIÁRIO DO RIO: Há uma reclamação em Miguel Pereira em relação a um possível favorecimento a empresários de fora da cidade na Rua Coberta, deixando os empresários locais com menos espaço na área. O que a Prefeitura tem a dizer sobre isso?

André Português: Na verdade a Rua Coberta ela é uma concessão. Quem aluga as lojas da Rua Coberta não é a Prefeitura. Quem aluga é o grupo e o investidor que construiu em parceria com a Prefeitura, que entrou com um projeto e com terreno. O grupo investidor vai explorar por anos e a Prefeitura ganha um percentual em cima do aluguel que for gerado ali. Então, a Prefeitura teve zero participação na escolha das marcas. Agora, foi um investimento alto. Então, o empresário quis buscar uma qualidade no atendimento de trazer novas marcas. E pelo nosso conhecimento, empresários locais tiveram acesso para disputar as lojas. E quero deixar claro que temos empresários locais na Rua Coberta. Empresários da região e da cidade de Miguel Pereira. Não foi aberto somente para empresários de fora da cidade e sim para todos, que disputaram da mesma forma. Inclusive, noventa por cento dos lojistas são da cidade de Miguel Pereira.

DIÁRIO DO RIO: Miguel Pereira tem feito muitas parcerias com gestões públicas e empresas privadas. Fale um pouco mais sobre elas.

André Português: O segredo da nossa cidade, primeiro claro que é a sabedoria que Deus nos dá em conduzir tudo. Em segundo são essas grandes parcerias. Uma delas, muito forte, é com nosso querido governador do estado do Rio de Janeiro. Sem ele nada seria possível. Não tivesse o empenho pessoal do governador Cláudio Castro, muito do que fizemos não seria possível. Não aconteceria. Nós buscamos também grandes parcerias com o Governo Federal e com empresas privadas. O governador Cláudio Castro conseguiu trazer a confiança novamente dos investidores ao Rio de Janeiro e, com isso, proporcionou que a cidade de Miguel Pereira voltasse a crescer. Em uma dessas parcerias foi possível criação do Parque dos Dinossauros, o maior do mundo nesse quesito.

Foto Daniel Martins/Diário do Rio

DIÁRIO DO RIO: Existe muito investimento no centro da cidade de Miguel Pereira. Outras partes da cidade também serão contempladas?

André Português: Estamos criando o centro da cidade mais bonito do estado do Rio de Janeiro. No período de um quilômetro, onde toda puxação vai ser subterrânea. Para essa área, fizemos um concurso é uma empresa de Gramado foi a vencedora. A gente projetou as cento e sessenta e cinco fachadas das lojas e a Prefeitura pagou esses projetos e também mandamos um projeto de lei para a Câmara Municipal garantindo que o empresário que fizer a fachada que a Prefeitura produziu, ganha cinco anos de isenção de IPTU. E com isso vamos transformar o centro de Miguel Pereira no centro mais bonito do estado do Rio de Janeiro. E todos os investimentos também estão indo para os distritos. Estamos fazendo agora a revitalização do segundo distrito de Governador Portela. Uma obra tão esperada por aquela população. Também estamos revitalizando o terceiro distrito, que é Conrado. Onde se encontra uma estação ferroviária que reformamos. Um projeto lindo. Então, estamos estendendo a todo o município essas ações. É todo um projeto para tornar Miguel Pereira a principal cidade turística do estado do Rio.

DIÁRIO DO RIO: No último dia 31 de dezembro, próximo à virada do ano, uma ponte recém-inaugurada caiu em Miguel Pereira. O que já foi apurado sobre esse caso e o que a Prefeitura está fazendo para que problemas do tipo não se repitam na cidade?

André Português: Na verdade, graças a Deus a ponte não caiu. Ela cedeu. Eu tenho certeza que se a ponte tivesse caído, poderíamos ter tido vítimas fatais. Tivemos vítimas, mas não fatais. Três pessoas tiveram algum tipo de lesão, mas foi mais na questão de sair correndo do que pela questão toda da ponte ter cedido. Graças a Deus, esse assunto foi pacificado. Só que foi uma fatalidade. A gente inaugurou a ponte dia trinta e um e às dezoito horas e às vinte e três e cinquenta e sete a ponte cedeu. A Polícia Civil está apurando o caso. A ponte foi interditada, estamos querendo apurar a fundo e temos que punir o culpado. O projeto da ponte foi muito bem feito por todos os atores envolvidos. É um projeto do Ministério do Turismo em parceria com a Prefeitura. Também teve o acompanhamento da Caixa Econômica Federal e do nosso corpo técnico, junto com o corpo técnico da empresa vencedora. Então, estamos querendo ir a fundo, com cem por cento de transparência para saber o que levou essa ponte a dar esse susto. Estamos tomando todas as atitudes, as ações que teríamos que tomar e em breve já vamos estar divulgando a perícia da Polícia Civil sobre o caso para termos todo o conhecimento do que aconteceu.

Foto Daniel Martins/Diário do Rio

DIÁRIO DO RIO: No último final de semana e no início desta, aconteceram deslizamentos de terra em Miguel Pereira. É um problema constante na Região Serrana, muito associado ao desmatamento. O que a Prefeitura está fazendo para tentar resolver isso?

André Português: Deslizamentos de terra acontecem muito na Região Serrana nesta época de chuvas. Até o horário de agora [por volta 16h30 de segunda-feira, 09/01], eu estava em uma ligação com um pessoal da Defesa Civil e já tivemos trinta e seis deslizamentos em Miguel Pereira até o momento dessa dessa entrevista. Em todos esses casos, foram tomadas as devidas medidas e não tivemos nenhum tipo de vítimas fatais e nem temos desalojados. Como qualquer serra, qualquer cidade de serra do nosso Brasil, em época de chuvas a gente sofre com essa questão de deslizamento. Mas Miguel Pereira tem dado um exemplo. De prevenção, de cuidado. Estamos sempre limpando todos os acessos para quando na época da chuva, a gente não ter nenhum tipo de vítima fatal.

DIÁRIO DO RIO: Como vai funcionar o Condomínio Empresarial?

André Português: Agora, dentro de alguns dias, nós vamos estar fazendo o lançamento de uma fábrica de chocolate Gramado, gerando quatrocentos novos empregos. É a primeira fábrica de chocolate fora de Gramado no Brasil e vai ser em Miguel Pereira, no Rio de Janeiro. O Condomínio Empresarial é um projeto que eu fui buscar pessoalmente, junto com o governador Cláudio Castro e dentro de alguns dias vamos estar trazendo essa notícia com mais detalhes. Vai ser uma fábrica temática para atender mais de duzentas franquias no Brasil que essa marca vende. E também vai ter loja temática, vai ser mais um ponto turístico no estado do Rio de Janeiro e na cidade de Miguel Pereira.

DIÁRIO DO RIO: Muitas marcas nacionais e até internacionais entraram em Miguel Pereira nos últimos anos, entre elas o Bob’s, que nunca havia entrado em um munícipio com menos de 30 mil habitantes. Fale um pouco sobre o trabalho para atrair essas empresas.

André Português: O Bob’s aceitou ir pra nossa cidade, porque acreditou na nossa gestão e hoje é um dos maiores de sucessos de venda de Miguel Pereira, mostrando que o interior tem a sua força, tem potencial e tem aquecimento econômico. Trouxemos várias outras marcas, não paramos só no Bob’s. Trouxemos a Casa e Vídeo, agora vamos inaugurar a Lojas Americanas. Miguel Pereira está chamando atenção. Já inauguramos a Domino’s, uma das maiores franquias de pizza do mundo. Inauguramos também o Spoleto na cidade de Miguel Pereira, uma marca também nacional. E por aí vai. Miguel está em real crescimento, vivendo um momento incrível e se transformando em uma referência no estado do Rio.

Jornalista Felipe Lucena entrevista o prefeito André Português. Foto Daniel Martins/Diário do Rio

DIÁRIO DO RIO: O elevado número de placas na cidade anunciando obras é motivo de críticas de alguns moradores da cidade. Essa é uma questão que a Prefeitura está avaliando para encontrar uma solução?

André Português: Na verdade, o povo tinha que estar feliz, porque primeiro que a cidade não tem outdoor. É proibido por uma lei municipal. Não existe outdoor. Os outdoors que temos hoje se encontram exatamente onde as obras públicas e as parcerias com o Governo do Estado, Governo Federal e iniciativa privada se encontram. Eu aprendi que a transparência em uma gestão pública tem que estar em primeiro lugar. Não é à toa que ganhamos agora o selo de ouro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro. Miguel Pereira é uma das cidades que tem maior transparência nas suas contas públicas. E eu como gestor me sinto na obrigação de levar para a população tudo que está acontecendo, porque desde o momento que você determina um projeto até a sua execução há um tempo de maturação. E nesse tempo de maturação é importante a população saber e olhar “aqui vai ter isso”. Então, hoje acho que temos poucos outdoors. Graças a Deus os outdoors hoje são de projetos, dinheiro novo, aquecimento da economia. Esse é o sonho de todas as cidades vizinhas e muitas do Brasil. Todas elas queriam sofrer por esse mal de ter tanta obra e investimento na cidade.

DIÁRIO DO RIO: Para fechar, o que a população de Miguel Pereira pode esperar, ainda, de sua gestão?

André Português: A população pode esperar que a gente vai finalizar todos os projetos que a gente anunciou. Começamos agora uma grande parceria com o Governo do Estado. Um dos maiores problemas da cidade era a questão do seu abandono nos bairros, pavimentação. Uma cidade que tem sessenta e sete anos de emancipação política e há mais de quarenta anos não tinha nenhum tipo de investimento e a gente veio resgatar nesses quase seis anos (se a gente extrair dois anos e meio onde o mundo parou que foi a pandemia), temos apenas três anos e meio de governo. E o que a gente conseguiu avançar nesses três anos e meio não se avançou nos mais de sessenta anos que a cidade tem. Tudo é planejamento. Tudo na vida que não tem planejamento não se tem resultado e Miguel Pereira a gente se preparou muito para governar. Como eu disse, primeiramente eu agradeço a Deus que é ele que está me dando sabedoria, saúde e direção para conduzir a cidade. Além disso, tem o preparo, uma boa equipe, uma belíssima equipe de secretariados, pessoas capacitadas em cada área e também a ajuda da população, claro. A gente se preparou muito para esse momento e fizemos acontecer. Vamos asfaltar todas as ruas da cidade e hoje temos a cidade mais segura do Rio de Janeiro, proporcionalmente falando, considerando o número de moradores e policiais, graças ao programa Segurança Presente também. Tudo é planejamento.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui