Prefeitura diz que eventos-teste no Rio reuniram 62 mil pessoas, e só 32 tiveram Covid depois

Mortes, casos graves e internações por conta da doença seguem caindo no Rio de Janeiro

Últimos jogos no Maracanã fizeram parte dos eventos-teste

De acordo com dados da Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, em 24 eventos-teste monitorados, apenas 32 das 62.203 pessoas que compareceram se contaminaram com o Coronavírus depois. Já outros 156 já estavam com Covid-19 antes e foram barrados. Os números constam do 44º Boletim Epidemiológico do município, divulgado nesta sexta-feira, 05/11.

“Todos os eventos-teste apresentaram taxa de incidência menor do que o Município do Rio no momento da sua realização”, disse a prefeitura, em nota.

Mortes, casos graves e internações continuam com tendência de queda. Pela segunda semana consecutiva, todos os bairros do Rio ficaram na bandeira verde, de risco baixo, para a Covid.

As nove partidas de futebol e os 15 shows ou festas mostrados no balanço desta sexta já completaram os 14 dias de monitoramento. Foram 24 contaminados após os jogos (uma incidência de 0,04%) e oito nos demais eventos (0,05%).

4 COMENTÁRIOS

  1. Incrível que o que importa são as narrativas e de que lado você está no balcão. O espírito desta frase aí é parecida com a que o dono do Madero proferiu ano passado (as atividades devem correr seu rumo, haverá certamente infectados mas é o preço a se pagar e tal). O cara foi coberto de porrada e comparado ao pior dos seres humanos. Hoje, a prefeitura nos vem com essa frase certamente para justificar o Carnaval. Mas, agora, tudo pode e agora é a tziêntzia quem está avalizando.

    Muita vontade de bambar as pernas, de sambar a qualquer custo mesmo sendo hipócrita… com uma prefeitura e um Paes Palho desses no comando, o carioca vai continuar sempre “sambando”.

  2. Se os infectados foram barrados e de mais de 60.000 aglomerados, apenas 32 contraíram covid, está estatisticamente provado que eles não foram contaminados nas aglomerações…
    Ou o número de contaminados seria muito maior…

    • Exatamente, alguma premissa tá errada: a depender da lógica levantada, por-se-ia em xeque a maior parte das restrições que foram impostas goela abaixo ao povo – todo o sacrifício, as perdas econômicas impostas em nome da saúde e da “tziêntzia”… Se antes não aglomerar fazia sentido, ainda faz sentido não aglomerar. E se do nada aglomerar não contamina, essa prefeitura impôs sacrifícios à população por puro achismo e “oba-oba”. Melhor essa prefeitura e prefeito hipócritas esconderem melhor esse desejo desmedido de promover carnaval a qualquer custo!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui