Foto Cleomir Tavares / Diario do Rio

A Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro agora integra o “Time Brasil, Programa de Transparência e Integridade em Municípios e Estados, criado pela Controladoria-Geral da União (CGU) com objetivo de combater a corrupção. O decreto que cria o grupo de trabalho para a implementação do programa na cidade foi publicado nesta terça-feira (27/07), no Diário Oficial do município.

Por meio de nota, o poder público municipal adiantou que a medida “incentiva o aperfeiçoamento das ações públicas com foco em três eixos: transparência, integridade e participação social – e está alinhada com a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que tem como objetivo o desenvolvimento sustentável no planeta”.

O secretário municipal de Governo e Integridade Pública, Marcelo Calero, destacou que uma das metas da Prefeitura é a prevenção de desvios por parte de agentes municipais. Pare Calero, estar inserido em um programa da CGU possibilita o refinamento de práticas de boa governança.  “Assumimos essa nova gestão do prefeito Eduardo Paes com a missão de prevenir desvios na esfera municipal e garantir o interesse público. Estar inserido num programa nacional, que permite a troca sobre as melhores práticas entre diversos entes da federação, é uma excelente forma de aprimorar os nossos mecanismos de integridade e transparência”, pontuou Marcelo Calero.

Já o subsecretário de Transparência e Governo Digital, Bruno Bondarovsky, salientou que a aplicação dos métodos da CGU permitiu que a secretaria identificasse fragilidades e possibilidades de qualificação dos seus processos. “O plano de ação elaborado pela Prefeitura do Rio ficou ousado, com 23 entregas programadas nos 3 eixos: transparência, integridade e participação social. São inovações importantes como a plena divulgação das obras públicas, o estabelecimento de uma política de dados abertos, a implantação da gestão de riscos e de um plano de integridade nos órgãos da prefeitura e a promoção ampla da ética, inclusive em atividades educativas nas escolas municipais”, explicou o subsecretário.

O Instituto Pereira Passos, a Controladoria-Geral do Município (CGM), (IPP), a Empresa Municipal de Informática (IplanRio) e as secretarias municipais de Governo e Integridade Pública (Segovi), Educação (SME) e Infraestrutura (SMI), Fazenda e Planejamento (SMFP), integram o grupo a Controladoria-Geral do Município (CGM).

1 COMENTÁRIO

  1. Enquanto isso, não responde ao ofício do vereador do novo que pergunta acerca do currículo de certos indicados para cargos públicos. Essas notícias sobre transparência que a prefeitura dá causa são todas pra inglês ver.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui