Prefeitura do Rio tem cerca de 13 nomes no 1° escalão que podem ser candidatos a vereador em 2024

3 subprefeitos e 3 secretários do PSD devem ser candidatos a vereador em 2024, enquanto serão candidatos 2 do PT, 1 do Avante, 1 do PRD, 1 do PSD,1 do PSB e até 1 do PL

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Câmara Municipal do Rio de Janeiro - Foto: Cleomir Tavares/Diário do Rio

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), terá que se preparar nos próximos meses, pois cerca de 13 nomes do primeiro escalão da Prefeitura do Rio terão que se descompatibilizar para se candidatarem às eleições para vereador do Rio de Janeiro em 2024. O prazo para a maioria deles é de 6 meses antes das eleições, que ocorrem em 6 de outubro de 2024.

Nem todos os 13 nomes podem se candidatar; alguns são do grupo de Paes, e ele decidirá. Os de outros partidos dependerão das nominatas e de suas lideranças, além da capacidade de angariar apoio e votos.

É importante ressaltar que o PSD de Eduardo Paes é o mais prejudicado em 2024. Analistas políticos acreditam que o partido não conquistará mais de 10 cadeiras, ou seja, não sairá do número atual de vereadores. Isso ocorre mesmo com o uso da máquina pública e um líder relativamente bem avaliado. Por outro lado, o PT de Tainá de Paula pode crescer em número de cadeiras, assim como o PL de Nilton Caldeira, atual vice-prefeito.

Flávio Ganem (Avante) é visto como um favorito para a Câmara de Vereadores, apesar das críticas ao seu trabalho à frente da Secretaria de Proteção Animal e ao fato de não ser morador do Rio de Janeiro. Enquanto Júnior da Lucinha (PSD), que busca a reeleição, pode sofrer um revés pelos problemas legais enfrentados por sua mãe, a deputada estadual Lucinha (PSD), que está sendo investigada por relações com a milícia de Zinho, na Zona Oeste.

Advertisement

Os subprefeitos enfrentam desafios adicionais como candidatos, já que, assim como na nossa eleição, competem entre si e disputam contra os candidatos do governo na região. Os da Zona Sul e do Centro, Flávio Valle e Alberto Szafran, podem tentar o voto judaico, órfão com Teresa Bergher cada vez mais distante. Já Didi Vaz disputa com muitos candidatos da Zona Norte, que são mais carismáticos e bem-posicionados.

Um caso curioso, adiantado na coluna Bastidores do Rio, é o do assessor de Comunicação da Fundação Parques e Jardins, Emanuel Alencar, que não é do primeiro escalão, mas será candidato a vereador, só que pelo PSol. Apesar de trabalhar na Prefeitura, ele é filho do deputado federal Chico Alencar, um dos maiores nomes do partido. Emanuel é considerado um dos favoritos para conquistar uma vaga no Pedro Ernesto, ou será que é no Edifício Serrador.

  • Nilton Caldeira (PL) – Vice-Prefeito
  • Adilson Pires (PT) – secretário de Assistência Social
  • Júnior da Lucinha (PSD) – secretário de Envelhecimento Saudável
  • Salvino Oliveira (PSD) – secretário da Juventude
  • Joyce Trindade (PSD) – secretária de Mulheres
  • Tatiana Roque (PSB) – secretária de Ciência e Tecnologia
  • Tainá de Paula (PT) – secretária de Meio Ambiente
  • Flávio Ganem (Avante) – secretário de Proteção Animal
  • Everton Gomes (PDT) – secretário do Trabalho
  • Renato Moura (PRD) – secretário de Cidadania
  • Didi Vaz (PSD) – subprefeito da Zona Norte
  • Flávio Valle (PSD) – subprefeito da Zona Sul
  • Alberto Szafran (PSD) subprefeito do Centro

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Prefeitura do Rio tem cerca de 13 nomes no 1° escalão que podem ser candidatos a vereador em 2024
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui