Prefeitura e Governo do Rio assinam cooperação técnica de R$ 300 milhões com o Galeão

Para atrair novas rotas e frequências de voos para o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), durante três anos, serão investidos R$ 270 milhões

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio

O prefeito Eduardo Paes assinou, nesta terça-feira (09/01), com o governo do Estado e a RIOgaleão um acordo de Cooperação Técnica de cerca de R$ 300 milhões com o objetivo de propor soluções de fomento à malha aeroportuária carioca, além de estudar cenários regulatórios possíveis para melhorar a coordenação entre os aeroportos da cidade. Um dos objetivos da parceria será o de viabilizar incentivos por meio de um Fundo Municipal para fomento da aviação na cidade

E para atrair novas rotas e frequências de voos para o Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), durante três anos, serão investidos R$ 270 milhões. A Prefeitura do Rio e o governo do Estado vão aplicar R$ 120 milhões, enquanto a RIOgaleão, concessionária responsável por operar o aeroporto, destinará R$ 150 milhões.

A parceria será feita por meio da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Econômico (SMDUE). A expectativa é tornar a cidade do Rio ainda mais atraente para companhias aéreas que já operaram no Aeroporto Internacional Tom Jobim ou que têm interesse em atuar, além de incorporar na capital fluminense uma prática de promoção local exercida pelos principais destinos turísticos mundiais.

A proposta é que o acordo gere estímulos financeiros e regulatórios para atrair as grandes companhias aéreas, companhias vocacionadas ao lazer e incentive que empresas que já operam no Galeão aumentem frequência de voos, impulsionando a receita direta e indireta para a cidade por meio do turismo de lazer e negócios.

Advertisement

Leia também

Rio terá observatórios para estudos climáticos; 1º será no Complexo do Alemão

Balão é ‘abatido’ antes de cair no Aeroporto do Galeão

Como contrapartida ao suporte dado pelo acordo, também estarão todos os incentivos já oferecidos pela concessionária, como descontos tarifários para pousos, permanência e incentivos de marketing.

Galeao2 Foto BETH SANTOS Prefeitura e Governo do Rio assinam cooperação técnica de R$ 300 milhões com o Galeão
Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio

De acordo com um estudo encomendado pela concessionária RIOgaleão, cada R$ 1,00 de valor gerado pelo turismo internacional proporciona R$ 1,46 pelos efeitos indiretos e induzidos. Portanto, a ação conjunta da Prefeitura, governo do Estado e do Aeroporto Internacional Tom Jobim miram o desenvolvimento econômico e social da cidade do Rio de Janeiro.

Representantes das três maiores companhias aéreas do país estiveram presentes à cerimônia em apoio à iniciativa. Presidente da Gol Linhas Aéreas, Celso Ferrer destacou o reconhecimento que a empresa recebe anualmente pelos cariocas.

CEO da Latam Brasil, Jerome Cadier explicou o trabalho que a empresa tem realizado em prol do Rio de Janeiro. “É óbvio que cada companhia tem uma vocação diferente, cada uma pode colaborar de forma diferente de acordo com as suas características. No Rio, desde o ano passado, a Latam cresceu 25% em relação ao ano anterior. E quando olhamos especificamente para o Galeão, esperamos que nesse primeiro trimestre de 2024 seja 120% maior do que foi o mesmo trimestre em 2023″, frisou Cadier.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Prefeitura e Governo do Rio assinam cooperação técnica de R$ 300 milhões com o Galeão

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Nada disso seria necessário se o Rio de Janeiro fosse um lugar extremamente seguro e estruturado para os seus próprios habitantes e por consequência para os turistas. O aumento orgânico nos voos e no interesse pelo Rio passa por diversos fatores para além de uma forçada de barra no aumento do tráfego aéreo. Do que adianta aumentar a frequência, se o número de passageiros não aumenta? Até porque, o tráfego é de mão dupla. E quantos cariocas e empresas cariocas estão saudáveis financeiramente para o voos também saiam daqui lotados? Quantos negócios e indústrias existem no estado para que as viagens de executivos (que é o que sustenta de fato os voos) ocorram com frequência? Como é o traslado Galeão – Baixada/Zona Norte, ou Galeão – Zona Sul/Oeste? É seguro, é tranquilo?

    Então, gente! Vamos acordar, né?!?!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui