Prefeitura inaugura, na Pavuna, o Espaço de Desenvolvimento Infantil Beth Carvalho

Beth Carvalho foi homenageada por sua consciência política e por sua preocupação com os mais vulneráveis, especialmente as crianças, segundo Eduardo Paes

O EDI Beth Carvalho é a quarta unidade escolar entregue este ano foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio

A Prefeitura do Rio de Janeiro inaugurou, nesta quarta-feira (16), o Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Beth Carvalho, na Pavuna, na Zona Norte do Rio. A unidade recebeu um investimento de R$ 15,5 milhões e é o quarto estabelecimento de ensino inaugurado, depois da retomada do programa Fábrica de Escolas. Estiveram presentes à inauguração: o prefeito Eduardo Paes (PSD), o secretário municipal de Educação, Renan Ferreirinha, a secretária municipal de Infraestrutura, Jessick Trairi.

A homenagem à grande sambista é mais do que justificada por Eduardo Paes, que via em Beth Carvalho uma pessoa preocupada com os mais vulneráveis, especialmente as crianças. Segundo o prefeito do Rio, a sambista era “apaixonada por educação”, além de ser profunda admiradora do projeto de ensino em tempo integral elaborado por Leonel Brizola e Darcy Ribeiro.

“A primeira vez que conversei com a Beth Carvalho foi em 2009 e a partir dali tive a chance de ter uma relação especial com ela. Tem um lado da Beth, que nunca se dissociou do lado cantora dela, que era a participação política. Ela sempre foi uma pessoa preocupada com os mais pobres e uma grande paixão da Beth era o projeto de ensino em tempo integral do Leonel Brizola e do Darcy Ribeiro. Ela era apaixonada pela educação. Criamos o programa Fábrica de Escolas justamente para levar o ensino em tempo integral e que as crianças fiquem mais tempo na escola”, afirmou Eduardo Paes.

Luana Carvalho, filha de Beth Carvalho, que esteve no evento, afirmou ter ficado emocionada com a homenagem prestada à mãe que, segundo ela, tinha “consciência de classe”. Luana disse ainda que a sambista jamais imaginaria ser homenageada por uma escola, que não fosse de samba.

“Ao chegar aqui, vi o nome dela e não dá nem para dimensionar. Uma escola com o nome dela. Fiquei muito emocionada. Minha mãe era uma mulher com consciência de classe e que dava muita importância à educação. Foi uma grande incentivadora dos Cieps, foi muito amiga do Darcy Ribeiro. Ela estaria muito feliz. Costumava dizer que a maior homenagem que se pode fazer a um artista é ser enredo de escola de samba. Mas acho que ela nunca imaginou que poderia ser nome de uma escola de fato. Não tem homenagem maior na vida de alguém do que ser escola”, declarou Luana Carvalho.

A Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) Beth Carvalho, que é todo climatizado e com tratamentos térmico e acústico, conta com 12 salas, sendo quatro berçários e oito salas de atividades. A unidade conta ainda com fraldário, lactário, solarium, parquinho, cozinha e refeitório. A área administrativa e os depósitos foram criados atendendo todas as normas de acessibilidade.

Renan Ferreirinha destacou que a Pavuna necessita de mais investimentos na educação infantil. Para ele, as mais de 300 crianças atendidas pela Prefeitura terão um enorme ganho educacional, que precisa ser ampliado ainda mais.

“Essa é uma inauguração muito especial para todos aqui, da Pavuna. São mais de 300 crianças beneficiadas no segmento da educação infantil. Essa região necessita muito desse atendimento. É mais uma escola de ponta, seguindo o modelo da nossa escola do amanhã e em parceria com a Rio-Urbe e com a Secretaria de Infraestrutura. E também uma homenagem à eterna Beth Carvalho, que tanto alegrou o povo brasileiro e agora fica marcada em uma unidade escolar do Rio de Janeiro”, disse o secretário de Educação.

O programa Fábrica de Escolas da Empresa Municipal de Urbanização (Rio-Urbe), em parceria com a Secretaria de Educação, inaugurou, em 2022, mais três unidades educacionais: o Ginásio Experimental Tecnológico (GET) Elza Soares, e o EDI Jornalista Jorge Bastos Moreno, ambos no campus do Rocha; e a Escola Municipal Luís Carlos da Fonseca, outro GET, em Madureira. Até agora, o programa foi responsável pela construção e reconstrução de mais de 100 unidades educacionais na cidade do Rio.

“Nesse tipo de construção costumamos ressaltar toda a dinâmica e os materiais que são utilizados na obra: proteção acústica, fachada dupla, forro, iluminação abundante. Com esse tipo de tecnologia e materiais conseguimos diminuir o consumo do ar-condicionado, de energia elétrica porque buscamos usar os elementos que já existem na natureza, como luminosidade, para que a escola seja eficiente” , explicou Jessick Trairi.

A Prefeitura do Rio pretende inaugurar mais 23 escolas até 2024, entre novas unidades e unidades reconstruídas.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui