Por André Delacerda

Últimas Dunas no Leblon por Comvalor Quem passa pela orla de Ipanema e do Leblon, deve está curioso, com aquelas cercado em volta daquelas dunas de areia, junto ao calçadão.

Mas fique tranqüilo que não se trata de nenhuma área loteada, ou especulação imobiliária. Mas sim de uma ação conjunta da Prefeitura do Rio com o Comitê Gestor da Orla, que estão promovendo a revitalização das dunas. Estas nas últimas décadas vinham sofrendo a ação natural do vento; e também humana, de pessoas que as utilizavam como área para jogar vôlei, consultório ao ar livre para massagens e as vezes até como abrigo para moradores de rua a noite.

Quem tiver a curiosidade de observar de perto esta ação em prol da preservação das dunas, vai observar que serão feitas a revitalização a paisagem local, a reconstituição da cobertura verde para proteger as dunas.

Estas também são habitat natural e local onde os pássaros inclusive, procuram para fazer seus vinhos e criar filhotes.

O projeto será composto de duas fases.

Serão replantadas mais de 15 mil mudas de espécies nativas, num total de 6 500 metros quadrados de área que sofrerá intervenção.

Um ponto a se chamar atenção, é a conscientização da população local e que freqüenta a praia, que é de suma importância neste processo de revitalização e preservação das Dunas.

Para tanto a Fundação Parques e Jardins produziu e está distribuindo o Manual da Praia, que é uma cartilha com normas para a manutenção desses espaços, destinada aos freqüentadores, que englobam banhistas, barraqueiros e esportistas.

Segundo a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, todo o processo de recomposição da vegetação, será feito em duas etapas, como já citado acima. Dessa forma, na primeira etapa do projeto ecológico, será preparado o solo com a ipoméia, que é uma espécie resistente ao vento e a mudanças de temperatura que inclusive ajudará na contenção das dunas, impedindo assim, os constantes deslizamentos, que faziam que estas invadissem o calçadão.

Dando continuidade, haverá uma fase com início após os primeiros três meses do projeto. Nesta etapa serão plantadas mudas de espécies ornamentais, típicas de vegetação de restinga. Como por exemplo, cactos; bela emília, aquela flor de coloração azul. Além das famosas bromélias.

Então vamos nos somar a ação do poder público municipal, fazendo a nossa parte, neste projeto, ajudando a preservar a área. Alias. Gostaria de convidar os leitores do Diário do Rio e os cariocas em geral, que quando forem a praia, evitem deixar o lixo na areia. Vamos levar um saquinho de lixo, colocar o lixo produzido neles, e na saída da praia, depositar em um daqueles carrinhos lixeira que a Comlurb disponibiliza junto aos calçadões da orla carioca.

Cada um de nós tem que fazer a nossa parte para contribuir em favor da preservação do meio ambiente.

Últimas Dunas no Leblon por Comvalor

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui