Rio terá primeira arena de e-sports pública do país

Nesta terça-feira (16/05), a Prefeitura do Rio apresentou o projeto da primeira arena pública de games e jogos eletrônicos do Brasil. A Arena Gamer, com capacidade para 100 pessoas, será montada dentro da Nave do Conhecimento do Engenhão, no Engenho de Dentro, na Zona Norte. O objetivo é receber competições de pequeno porte e torneios regionais de esportes eletrônicos, além de se tornar um polo de inclusão, aprendizagem e transformação social para os visitantes.

“A nossa aposta é estimular um monte de carioca que está começando a entrar nessa área a ter condições de disputar com qualquer um. A Nave do Conhecimento é isso, ela diminui as desigualdades. O game é uma grande oportunidade de entrar no mundo da tecnologia. É também um enorme potencial educacional e de geração de renda. Uma indústria hoje muito mais forte do que as redes de streaming. Queremos que a cidade do Rio seja precursora no apoio ao e-sports e, por isso, temos orgulho de colocar aqui a primeira arena pública de games”, afirmou o Prefeito Eduardo Paes.

A iniciativa é da Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia, em parceria com a Coordenação de Games e e-Sports, que faz parte da Casa Civil da Prefeitura. Durante o evento, foi apresentado um vídeo do projeto da arena, que tem capacidade para receber dois times de até cinco jogadores. A intenção é que se torne um local em que a comunidade gamer carioca possa utilizar para torneios locais e ser utilizada como centro de treinamentos de novas equipes de e-sports do Rio de Janeiro.

A Arena Gamer terá um estúdio de transmissão, de onde serão televisionadas e narradas as competições de e-sports, camarins para os times, área para equipe técnica, que dará suporte aos eventos, um telão de LED, para transmissão das partidas, arquibancada, e um piso elevado, que destacará os competidores. Com o equipamento de transmissão, será possível receber apresentações diversas (debates e apresentações individuais), via streaming.

“Esta é a primeira Arena Gamer pública do Brasil. Vamos dar oportunidade para todo mundo poder entrar nesse mundo novo dos games e do e-sports, que são os esportes virtuais eletrônicos. Aqui na Nave do Conhecimento do Engenhão estamos inaugurando esse espaço para dar acesso a competições de games para todas as pessoas, que é algo que já existe em outros lugares, mas não de uma forma pública, gratuita e acessível para todo mundo”, disse a Secretária Municipal de Ciência e Tecnologia, Tatiana Roque.

O projeto também proporcionará interação àqueles que não têm contato com o universo gamer. Está prevista a criação de uma área de simuladores, com óculos de realidade virtual que permitem a imersão num ambiente digital através de imagens 360º. Também haverá o espaço Retro Games, que possibilitará o contato dos visitantes com jogos clássicos do início da criação dos videogames.

“Aqui vai ser um lugar em que a gente vai apoiar o pequeno e médio evento, nacional e regional, para democratizar essa área e levar para todo carioca. Mais do que isso, uma arena como essa é também uma janela para a nova era da economia criativa. Uma arena de games não é só composta de jogadores, ela também forma narrador, comentarista e outros”, ressaltou o Coordenador de Games e e-Sports da Prefeitura, Chandy Teixeira.

Quem está empolgado com a construção da Arena Gamer é Matheus Valerio, de 13 anos. Quando era aluno da Nave do Conhecimento do Engenhão, o adolescente desenvolveu um game e se destacou em um evento na Casa Firjan, ganhando uma bolsa de estudos para aperfeiçoar suas habilidades.

“Acho essa proposta muito interessante porque muitas pessoas vão poder usa a Arena Gamer, na parte de cima aqui da Nave do Conhecimento. Um dos meus objetivos é disponibilizar o jogo que estou desenvolvendo para todo mundo poder jogar, disputar campeonatos e, principalmente, se divertir”, disse Matheus.

A Nave do Conhecimento do Engenhão já oferece cursos de tecnologia e uma lan table para usuários utilizarem internet banda larga.

Além da Arena Gamer, está prevista a criação de outros espaços:

Incubadora de Startups – O objetivo desse espaço será incubar startups oferecendo consultoria, treinamento e participação em eventos. O conceito do ambiente é promover networking entre diferentes startups, por isso não possui baias ou paredes separando as empresas. O propósito é fomentar empresas de cunho social.

Coworking – Ambiente destinado para que os funcionários das startups trabalhem mais reservadamente ou realizem reuniões para apresentarem seus produtos para potenciais clientes e investidores. O espaço do coworking foi planejado para receber 15 pessoas, além de outras cinco na sala de reuniões. Estão previstos armários para guardar volumes, datashow para projeção de trabalhos, lousa branca para anotações, impressora. Estão planejadas seis ilhas, uma por empresa, com cinco lugares com espaço para cadeirantes.

NaveLAB – Está planejada a criação de uma área maker. O cenário maker está em evidência, pois permite às pessoas, em suas próprias casas, produzirem seus projetos a um custo baixo. O ensino nesse espaço se torna mais dinâmico para crianças e jovens, pois incentiva autonomia, criatividade, inteligência emocional, educação orientada a problemas, pensamento crítico e colaboração. O espaço prevê equipamentos e ferramentas para as startups criarem seus protótipos, tais como: cortadora laser, impressora 3D, bancadas amplas para criação de soluções com Arduino, NodeMCU, Raspberry PI. Esse ambiente será utilizado para aulas de impressão 3D, robótica com Lego ou Arduino, cursos já ministrados nas Naves do Conhecimento.

Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. Se deu bem o pessoal que mora perto ou que tem condições de arcar com gastos para poder ir, voltar e permanecer no local. Achei meio exagerado dizer como se fosse pra todo mundo.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui