Terminou nesta sexta-feira (18/10) o Grande Mutirão de Renegociação de Dívidas e Solução de Problemas do Procon Estadual do Rio de Janeiro, realizado na sede da autarquia. Até 2018, três foi o número máximo de mutirões realizados em um mesmo ano.  Com o apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento, este foi o quinto mutirão realizado em 2019. Foram atendidos 2.217 consumidores e atingido 77% de acordos entre consumidores e empresas. O total de valores negociados foi de R$ 6.419.861,67, e os descontos chegaram a R$ 3.569.991,07. Estes cinco mutirões de 2019 quebraram os recordes de atendimentos realizados pelo Procon neste tipo de evento em um mesmo ano. Foram 5.567 atendimentos realizados em mutirões em 2019, contra 1.767 do ano passado. 

O Presidente do Procon Estadual, Cássio Coelho, destacou as orientações do governador Wilson Witzel para a nova gestão da autarquia e a atuação de seus funcionários para alcançar estes números. “Foi proposta do governador, logo no início de sua gestão, de que o Procon deveria estimular mais os acordos entre as empresas e os consumidores. E esse aumento significativo só foi possível graças a dedicação dos funcionários da autarquia, que vestiram a camisa”, afirmou.

Empresas de vários segmentos participaram do mutirão: bancos (Itaú, Bradesco, Santander, Banco do Brasil e Caixa Econômica), empresas de telecomunicação (Oi, Vivo, Claro, TIM, Nextel, Embratel, NET e SKY), concessionárias de serviços públicos (Light, Cedae, Enel e Naturgy), financeiras (Crefisa e BMG) e empresas de planos de saúde (Unimed Rio e Bradesco Saúde). Todas ofereceram a possibilidade de descontos bem acima do que normalmente estão dispostas. As dívidas mais demandadas foram as contas de consumo – água, luz e telefone. A Light foi a empresa mais demandada e também a que mais fechou acordos. “Acreditamos que, ao oferecer essa chance de negociação vantajosa para o consumidor, nós o estamos ajudando a facilitar sua vida com as tradicionais despesas de fim de ano”, disse Cássio Coelho.

Entre os que aproveitaram o mutirão, estava uma empregada doméstica cuja filha havia começado a estudar na faculdade. Com o aumento das despesas, passou a pagar apenas a parcela mínima da dívida de seu cartão de crédito. Chegou a um ponto em que ela não pode mais arcar com esse valor mínimo e as despesas da filha na faculdade, por isso deixou de pagar o cartão. No mutirão, ela conseguiu renegociar a dívida e teve um desconto de 71% no seu valor total. Um aposentado também conseguiu renegociar dívidas no cartão de crédito atingindo 90% de abatimento. Ele acabou se endividando por ter reduzido drasticamente a sua renda com a aposentadoria, além da esposa ter ficado doente no mesmo período. A renegociação deixou seu espírito apaziguado: “Agora que vou conseguir quitar esse débito, posso voltar a andar de cabeça erguida”, comemorou.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui