Procon Carioca pede retirada da maionese Fugini das prateleiras por uso de matéria-prima vencida

A determinação é para que a fornecedora recolha as maioneses da marca com lotes com vencimento em janeiro, fevereiro ou março de 2024 e lotes iniciados a partir do número 353, com vencimento em dezembro de 2023

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Cacá Trovó/EPTV

O Procon Carioca determinou a retirada do comércio da maionese Fugita e notificou a Fugini Alimentos a apresentar informações, no prazo de cinco dias, sobre os problemas encontrados pela Anvisa na fabricação de alguns alimentos, em especial, uma maionese, que teria sido fabricada com corante vencido.

Após a inspeção sanitária, a Anvisa suspendeu a fabricação, comercialização, distribuição e uso de todos os alimentos da marca da fornecedora. A empresa produz molhos de tomate, conservas vegetais e outros molhos, como maionese e mostardas. Nesta quinta-feira (30), a Anvisa determinou o recolhimento de todas as apresentações da maionese da marca Fugini, com vencimento em janeiro, fevereiro ou março de 2024 e dos lotes iniciados a partir do número 353 a vencer em dezembro de 2023.


De acordo com a resolução, o motivo da decisão foi a constatação de uso de matéria-prima vencida na fabricação da maionese na unidade fabril de Monte Alto/SP da fornecedora, o que torna o alimento impróprio para o consumo, colocando no mercado de consumo produtos que acarretarão riscos à saúde dos consumidores.


Diante disso, o Procon Carioca determinou que a fornecedora recolha, na cidade do Rio de Janeiro, todas as apresentações da maionese, marca Fugita, lotes a vencer em janeiro, fevereiro ou março de 2024 e lotes iniciados a partir do número 353 a vencer em dezembro de 2023.


Além disso, a empresa deve especificar a quantidade de maionese da marca Fugita (lotes acima descritos) comercializada pela fornecedora antes da inspeção sanitária da ANVISA; apresentar o plano de contingência para recolhimento dos produtos e reembolso dos consumidores; especificar quantos consumidores registraram reclamações nos canais de atendimento da fornecedora solicitando a troca ou o reembolso dos produtos e como será realizada a suspensão da fabricação, comercialização, distribuição e uso de todos os alimentos da marca Fugini.


A empresa, também, terá que explicar se as falhas de fabricação na fábrica de Monte Alto/SP, constatadas pela inspeção sanitária da ANVISA, foram corrigidas.


De acordo com Igor Costa, diretor executivo do Instituto Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor, os esclarecimentos são urgentes e fundamentais. “A empresa deverá esclarecer, comprovadamente, todas as questões solicitadas de maneira digital. A equipe do Procon Carioca segue atenta para que o Direito do Consumidor seja respeitado”, esclarece Igor.

Advertisement

Leia também

Águas do Rio alega não saber sobre situação da Cedae mas presidente foi diretor da empresa – Bastidores do Rio

Antiga garagem da Silveira Martins é vendida por R$19,7 milhões a incorporadora

Ainda antes de ser determinado o recolhimento dos lotes da maionese, a empresa divulgou, em suas redes sociais, um posicionamento sobre a inspeção na fábrica.

Passamos por um processo de vistoria em uma de nossas fábricas, na cidade de Monte Alto – SP, que gerou uma ordem para alteração de alguns processos e procedimentos internos, respeitamos e, rapidamente, alteramos os pontos indicados”, declarou a empresa.

Sempre cumprimos com todas as obrigações. Prova disso, em mais de 25 anos de operação, jamais tivemos um único lote de produto retido por problema de recall.”

A empresa informou que vai atender os clientes pelo telefone 0800 702 4337.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Procon Carioca pede retirada da maionese Fugini das prateleiras por uso de matéria-prima vencida

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui