Procon-RJ descarta mais de 1,5 tonelada de alimentos impróprios em mercados

Ao todo os agentes fiscalizaram 31 estabelecimentos e 28 foram autuados. Em algumas instalações foram encontradas baratas, larvas, produtos vencidos e grande variação de preços

O Procon Estadual do Rio de Janeiro realizou Operação Boa Mesa em supermercados nesta quarta e quinta-feira (08 e 09/09) para apurar denúncias de consumidores. A ação contou com o apoio da Secretaria Estadual de Fazenda e da Delegacia do Consumidor. Os agentes fiscalizaram ao todo 31 estabelecimentos e 28 foram autuados. A fiscalização aconteceu em 11 municípios das Regiões Metropolitana, dos Lagos, Serrana, Costa Verde, Baixada e Norte Fluminense. A autarquia preparou ainda um levantamento de preço dos itens da cesta básica para ajudar os consumidores.

Os fiscais encontraram 1.519,3 kg de alimentos impróprios para consumo, que foram descartados. Dentre eles estavam alimentos vencidos (261,2 kg), sem informação quanto à data de validade e manipulação (885 kg), mal armazenados (349,3 kg) e carne pré-moída (23,8 kg). Carnes diversas, laticínios, produtos em conserva, massas, doces prontos e misturas para bolos foram alguns dos itens descartados.

O setor de estocagem da padaria de um estabelecimento de Araruama foi parcialmente interditado, pois os fiscais encontraram baratas no local. Em Maricá, foram encontradas larvas em um pedaço de bacon e sujeira acumulada na câmara congelada, que foi interditada. Em São Gonçalo, também foram encontradas larvas em alimentos, desta vez na azeitona. Os agentes constataram ainda irregularidades estruturais em 23 estabelecimentos.

Estamos cientes da importância que o segmento tem no cenário econômico, gerando milhares de empregos e movimentando a economia. As reuniões com a Associação de Supermercados do RJ são permanentes. A observação da validade dos produtos perecíveis deve ser acompanhada de forma rígida pela fiscalização do Procon. Os supermercados precisam se organizar de forma contínua para que não sejam oferecidos produtos vencidos nem impróprios aos consumidores” declarou o presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho.

Os agentes vistoriaram filiais dos supermercados: Multi Market, Extra, Prezunic, Rede Economia, Super Compras, Supermarket, Mundial, Zona Sul, Extra, Pão De Açúcar, Superprix, Guanabara, Regina, Berg’s, Cristal, Casa do Sabão, Rio Sul, Gran Marché, Unidos, Costa Verde, Lagos Atacarejo e Dom Atacadista.

A ação aconteceu no Rio de Janeiro, São Gonçalo, Itaguaí, Nilópolis, Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Maricá, Araruama, Mangaratiba, Macaé e Teresópolis. Nestes dois últimos, a fiscalização ocorreu no final da última semana (02 e 03/09).

Pesquisa de preços

Servidores do Procon Estadual do Rio de Janeiro realizaram um levantamento de preços de produtos básicos da alimentação dos consumidores fluminenses. Os itens pesquisados foram: arroz, feijão preto, óleo de soja, leite, ovos, açúcar, sal, fubá, macarrão, farinha de trigo, farinha de mandioca. O levantamento de preços foi realizado em 26 estabelecimentos que comercializam esses alimentos entre os dias 21/08/21 até 02/09/21 no Rio de Janeiro, Macaé, Campos dos Goytacazes, Niterói, Nova Iguaçu, Nilópolis e Nova Friburgo.

No Rio de Janeiro, os agentes encontraram uma variação de 22% para o preço do arroz, que chegou a custar de R$27,79 a R$33,98; e de 24% para o preço da farinha de trigo, que variou de R$3,99 a R$4,98. Em Niterói o consumidor conseguia pagar a cartela de 20 ovos de R$7,89 a R$11,50, uma diferença de 46%; já no leite de 1 litro na embalagem tetrapak, essa diferença era de 13%.

Em Nova Iguaçu, a variação de preços do óleo de soja e do açúcar ficou em torno de 15% enquanto o feijão em Nilópolis variou 23%. Já em Campos dos Goytacazes, 500g de macarrão custava de R$4,29 a R$4,99. Em Macaé, o preço do fubá variou 14% enquanto ao da farinha de mandioca variou 29%. O preço do sal em Nova Friburgo variou 17%. Esses e outros dados o consumidor pode encontrar na pesquisa completa disponível no site oficial do Procon-RJ.

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. UM ABSURDO ,ENQUANTO MUOTAS PESSOAS NÃO TEM O QUE COMER ! É JOGADO FORA É DESCARTADO PRODUTOS QUE PODERIAM SER DOADOS PRÓXIMOS A VALIDADE PARA AS PESSOAS APROVEITAREM !! QUE EMPRESSARIOS SÃO ESSES QUE NAO OLHAM OS MAIS NECESDITADOS ,A SILIDARIEDADE ESTA ONDE NESSEAS PESSOAS !! A LEI DP RETORNO É INFALÍVEL!! FICA A DICA !!

  2. Tanta gente passando fome!
    Não haveria a possibilidade de se criar uma campanha que incentivasse a doação dos alimentos antes de vencerem?
    Chega a ser criminoso!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui