Procon-RJ e Decon encontram baratas em supermercados e descartam mais de 400kg de alimentos impróprios

Na Zona Norte e na Baixada Fluminense, dois estabelecimentos tiveram a área de produção da padaria interditada, depois de serem encontradas baratas vivas no local

O Procon Estadual do Rio de Janeiro e a Delegacia do Consumidor (Decon) descartaram 414 kg de alimentos impróprios durante fiscalização em supermercados nas zonas Norte e Oeste do Rio e no município de Nilópolis, na Baixada Fluminense. Durante a ação, seis estabelecimentos foram autuados e outros dois tiveram interdições parciais. O responsável por um dos supermercados foi levado à Decon pelos policiais civis.

Na Zona Norte e na Baixada Fluminense, dois estabelecimentos tiveram a área de produção da padaria interditada, depois de serem encontradas baratas vivas no local. Entre os seis supermercados fiscalizados, apenas um não tinha problemas em relação aos alimentos. Nos demais estabelecimentos, foram encontrados alimentos impróprios, vencidos, mal armazenados e sem qualquer especificação quanto à manipulação e validade. Os agentes também constataram problemas estruturais nas instalações visitadas.

Essas operações conjuntas serão constantes entre os órgãos fiscalizadores, buscando sempre proteger a saúde e segurança do consumidor e manter o equilíbrio da relação de consumo“, afirma Cássio Coelho, presidente do Procon-RJ.

De acordo com Coelho, os fornecedores terão 15 dias para apresentarem as suas defesas à autarquia. As lojas interditadas poderão reabrir, após sanarem os problemas constatados na fiscalização.

WhatsApp Image 2023 11 13 at 17.49.36 Procon-RJ e Decon encontram baratas em supermercados e descartam mais de 400kg de alimentos impróprios

A ação desta segunda-feira foi um trabalho em parceria com o Procon-RJ em defesa do consumidor, uma união de esforços em proteção da sociedade“, ressalta o delegado da Decon, Luiz Henrique Marques.

Advertisement

9 COMENTÁRIOS

  1. Notícia pela metade, pessimamente assinada pelo sr Quintino Gomes Freire, ao não divulgar o nome dos estabelecimentos. MEDO DE QUÊ?! Qual o problema em divulgar o nome dessas empresas irresponsáveis e até mesmo o nome dos funcionários que deveriam zelar pelo ambiente de trabalho? Enfim uma matéria mal feita, que não informa nada – como poderei evitar comprar nessas empresas com baratas e outros insetos, se não sei seus nomes? que o Diário do Rio não informa na matéria!! Eu e vários leitores estamos esperando uma resposta. Com a palavra, o sr.QUINTINO…

  2. Bem sou favorável que se de o nome dos infratores para que toda população fique sabendo quem são essas redes de super mercados . Pois a impressão que da e que a própria Decon e o Procon protegem essas redes de mercados pois são sempre os mesmo , sugiro que de nomes aos burros os consumidores devem saber quem são mercados .

  3. Sugiro fazerem uma fiscalização em todos os mercados no setor de carga e descarga, onde em todos os mercados, são locais insalubres com muita baratas, ratos, pombos, gatos, etc…
    Acho que alguns fiscais levam alguma coisa, pq ninguém fiscaliza esta área.

  4. Mercado extra em Nova Iguaçu, tem baratas no meio das verduras, frutas, legumes e andando perto dos caixas.
    Mercado Intercontinental no centro do RJ tem baratas nas prateleiras e, carnes já cinzas de tão passadas na geladeira de frios que não gela tanto… Sem contar com frutas, legumes e verduras murchas e/ou podres para vendas.
    Sugiro que a Decon passasse em todos os mercados do Rio de Janeiro.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui