Projeto de balé gratuito para crianças com autismo pede ajuda para se manter

O Balé da Tia Thá funciona em Angra dos Reis, na Academia Genética do Corpo, e atende cerca de 140 crianças com depressão, ansiedade e TDAH. O link da vaquinha virtual está na matéria

Foto: Divulgação

Até o último mês de agosto, Thalía, nascida e criada em Paraty, caiçara de família de pescadores artesanais, mantinha um projeto que dá aulas gratuitas de balé clássico para crianças, entre elas portadoras de autismo, depressão, ansiedade e TDAH. Contudo, a Tia Thá, como é conhecida, não está mais conseguindo custear os gastos com o curso. Por isso, pede ajuda através de uma vaquinha virtual, que pode ser acessada clicando aqui.

“A dança é uma forma de terapia indica pelos médicos, pois a prática do exercício provoca a liberação de endorfina, que melhora o humor e a autoestima. Além da endorfina, a dança libera dopamina e serotonina”, explica Thalía. 

O Projeto, que acontece em Angra dos Reis, no espaço cedido da Academia Genética do Corpo. São cerca de 140 crianças, de Angra e Paraty, atendidas gratuitamente.  “Não recebo nada por isso, é um trabalho voluntário que precisa da colaboração da população pra que essas crianças continuem sendo atendidas”, diz a professora, formada em ballet clássico.

Sonhando em manter o projeto acontecendo, Thalía afirma: “Creio que através das aulas possa sair grandes profissionais da dança”.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui