Projeto Urbegrafia lança livro-mosaico sobre a cidade do Rio e o seu estilo de vida

Em 'Urbegrafia – um mosaico visual do Rio' 52 bairros foram representados, além de 9 cidades fluminenses, presentes no capítulo 'Arredores'

Legenda e crédito: Missão Patrimônio Imaterial_@adrianororiz.photo_Praia da Barra da Tijuca

Um mosaico de imagens do Rio de Janeiro feitas por seus habitantes, esta é a proposta do projeto “Urbegrafia – um mosaico visual do Rio.” As imagens do livro-mosaico foram selecionadas no Instagram, após seis meses de interação, para a escolha de 200 imagens – de 105 autores – da cidade e do estilo de vida do carioca. Durante os seis meses, o público tagueou mais de 30 mil fotos na rede social, relacionadas a 20 temas abordados no livro, que será lançado, na quarta-feira (22), no Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), no Flamengo, a partir das 18h30.

“Urbegrafia – um mosaico visual do Rio” é uma construção coletiva, que conta com a inserção de breves textos no início dos capítulos. O trabalho capta as percepções do Rio e do estilo de vida aqui desenvolvido no ambiente online, como se fosse um game fotográfico, onde 52 bairros foram representados, além de nove cidades fluminenses, presentes no capítulo “Arredores”.

De acordo com os critérios do trabalho, qualquer pessoa conectada ao Instagram poderia participar utilizando as tags específicas para cada uma das missões apresentadas na plataforma. No Ubergrafia, foram abordados diversos aspectos da carioquice, tais como: favelas, casas cariocas, patrimônio histórico, a cidade e o mar, estilos arquitetônicos e seus períodos históricos, vida ao ar livre, além das deficiências da capital fluminense, apresentadas no capítulo “Imperfeitos.”

As fotos, cujo projeto gráfico dialoga com o Instagram, foram publicadas em formato original, tendo a capa do livro-mosaico o formato proporcional ao das imagens verticais do app – 1350×1080. As melhores imagens de cada capítulo receberam um “like” – coração vermelho aplicado -, sendo que as 30 mil fotos que concorreram podem ser acessadas pelos códigos QR distribuídos pela publicação.

O projeto promoveu também o Instameets, encontros realizados entre usuários da plataforma para produzir fotos, guiados pelo jornalista Rafael Bokor. Neles foram realizados dois tours gratuitos – “Cidade Republicana” e “Ecos da Colônia”, nos quais os voluntários puderam conhecer e fotografar locais históricos do Centro do Rio. A última etapa contemplou uma caminhada fotográfica da Praia Vermelha à Mureta da Urca.

“O avanço tecnológico possibilitou que cada cidadão se tornasse uma unidade particular da construção imagética da cidade. Essa conquista foi fundamental para a criação desta comunidade que abraçou a ideia e nos ajudou a criar esse belo mosaico visual do Rio. Duzentas imagens que passeiam por variados cenários dessa capital encantadora e tão contrastante”, destacou Tiago Petrik, idealizador do projeto, que contou com a curadoria-geral de Beto Pestana e a direção de Flávio Bidoia e Luciane Araújo.

A iniciativa do projeto Urbegrafia é da Núcleo da Ideia e RIOetc, com o patrocínio da Ancar por meio da Lei Municipal de Incentivo à CulturaLei do ISS, da Prefeitura do Rio – e tem um formato semelhante a de outros projetos da Núcleo da Ideia, como as duas edições do “Rio365”, “Rio450” e “Nossa Língua.” O RIOetc, por sua vez, há 15 anos busca a alma encantadora das ruas, tendo fotografado mais de 15 mil personagens do Rio. O projeto reúne mais de 400 mil fotos de seus seguidores na hashtag #rioetc.

Para a realização do trabalho, a cada semana um tema era abordado, cabendo a uma equipe de curadores fazer a seleção de dez imagens. Participaram da curadoria: Rafael Bokor (@riocasaseprediosantigos), Patrícia Pamplona (@patricia_pamplona), Raphael Vidal (@oraphaelvidal), Ana Paula Amorim (@apamorimmendes), Márcia Foletto (@marciafoletto), Anna Fisher (@annafisher), Marina Lage (@marinalagelima), Celso Rayol (@celsorayol), Rosemeri Conceição (@standarteeducacao) e Diego Cardoso (@diegocardoso_fotografia). O time reuniu fotógrafos, jornalistas, arquitetos e pesquisadores da história urbana.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui