Próxima estação: a história da estação mais antiga do MetrôRio

Descubra a origem da estação e do meio de transporte que transformou o cotidiano dos cariocas

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
O metrô, decide pelo início da construção do trecho inicial (Central – Glória). Reprodução: Internet

O MetrôRio recebe diariamente milhares de trabalhadores que se deslocam entre suas casas e seus empregos. Com sua música icônica e a voz da cantora Zanna, uma figura emblemática do Rio de Janeiro, o meio de transporte se tornou parte do cotidiano da cidade, marcando o coração de todos os turistas que a visitam. No entanto, o que muitos desconhecem é a história por trás e de sua estação mais antiga.

Quando foi inaugurado em março de 1979, o metrô já apresentava uma malha de 4,3 quilômetros de trilhos, conectando cinco pontos-chave da cidade. Nos primeiros dez dias de operação, mais de meio milhão de pessoas utilizaram o serviço, resultando em uma média diária de 60 mil clientes.

5mar141 Próxima estação: a história da estação mais antiga do MetrôRio
Inauguração do MetrôRio. Reprodução: Internet.

Entre as estações pioneiras, a Cinelândia se destacava como a mais movimentada, que, com mais de um terço do total de passageiros, dividia então o fluxo com Praça Onze, Central, Presidente Vargas e Glória. No início, o sistema operava com apenas quatro trens de quatro carros, com intervalos médios de oito minutos entre 9h e 15h. Posteriormente, o horário de operação foi estendido até as 23h a partir de dezembro do mesmo ano.

No entanto, poucos sabem que a estação da Glória é considerada a mais antiga do MetrôRio. Ela foi juntamente aberta com outras quatro estações em cinco de março daquele ano. Foi a partir desse local que ocorreu a primeira viagem inaugural e oficial.

Advertisement
Geisel Figueiredo MetroRio Próxima estação: a história da estação mais antiga do MetrôRio
Presidente da Republica da época, Ernesto Geisel, andando na primeira viagem feita pelo metrô.
Reprodução: O Globo.

Neste dia, o Presidente da República da época, Ernesto Geisel, e uma vasta comitiva de 400 pessoas percorreram os 5,1 quilômetros da linha 1 do novo meio de transporte carioca. Foram às cinco estações em uma hora e cinco minutos. Em cada uma, houve solenidades, discursos e cerimônias.

Foram quatro anos de obras e 250 milhões de dólares gastos, com galerias feitas de mármore. Porém, na estreia, ocorreram problemas. Com Geisel a bordo, o ar-condicionado falhou na Central. Depois da abertura oficial, quem sofreu foi o público. Com passagem gratuita, milhares queriam ver de perto a novidade durante a hora do almoço.

No ano seguinte, as Estações Uruguaiana e Estácio criadas. A abertura dessas duas estações aumentou a demanda de passageiros, levando a empresa a expandir o número de carros nos trens de quatro para seis. Com o passar dos anos, novas linhas foram implementadas e o tempo de espera foi reduzido.

Atualmente, transporte público possui 41 estações, três linhas em atividade e 14 pontos de integração. Possui mais de 2.500 funcionários e possui sede localizada no Centro do Rio de Janeiro. O MetrôRio tem contribuído para melhorar a mobilidade urbana para cariocas e turistas, tanto no cotidiano quanto em eventos importantes, como o Réveillon e o Carnaval.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Próxima estação: a história da estação mais antiga do MetrôRio
Advertisement

12 COMENTÁRIOS

  1. Boa cariocas sempre.quandpvou ao rio só viajo de metrô.e rápido eu ainda não tive problema com o metrô.abracos. A todos da cidade maravilhosa. Carlos . De poços de Caldas MG.

  2. Deveríamos ter metro do maracana ligando ao antigo jardim zoológico, no engenho novo,em posto de gasolina desativado , em frente a igreja da consolação. No jardim do meier , no engenhão , água santa , em piedade , cascadura e madureira , e alguns bairros vizinhos , e tambem deodoro e ricardo de Albuquerque finalizando
    . … Desafogava bastante a zona norte .

  3. Eu quero muito ver estação Cruz Vermelha aberta, ajudará muitas pessoas que precisam dos hospitais tipo INCA e Hospital do Cérebro. Governo agiliza….priorize está estação o mais rápido possível.

  4. Acho que essa cronologia não está certa. Pois a primeira vez que andei foi entre o Estacionamento e a Onça Onze. Foi experimental, não paga vamos passagem.

  5. Meu Deus!! Me poupe se senhora ” jornalista” galerias feitas de mármore? Vá se informar/estudar. As galerias são em concreto. Em algumas estações, apenas estações, o revestimento sobre o concreto é de mármore!!

  6. O metrô, hoje, tornou-se um meio de transporte,caro,sem manutenção e com trens ultrapassados,o Rio de janeiro merece, coisa melhor!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui