Quais são os prédios com os apartamentos mais caros do Rio de Janeiro?

Já parou para pensar quanto custam os apartamentos mais caros da Cidade Maravilhosa? O DIÁRIO DO RIO desenvolveu uma lista com os cinco prédios mais caros do Rio

Bairro de Copacabana, Rio de Janeiro | Foto: Rafa Pereira - Diário do Rio

As praias do Rio de Janeiro são conhecidas mundialmente por sua beleza incrível e, além de visitar, morar em um local que possui uma vista cinematográfica, como Copacabana ou Ipanema, é o desejo de muitos cariocas, brasileiros e também estrangeiros. Mas, já se perguntou qual será o valor, para comprar e manter um imóvel de alto padrão no Rio? Buscando saciar a curiosidade dos leitos, o DIÁRIO DO RIO desenvolveu uma listagem que responde à pergunta: quais são os prédios de moradia mais caros do Rio de Janeiro?

Imóveis de alto padrão possuem algumas características em comum. Precisam ser amplos, espaçosos, perto da praia, com vista para o mar e com uma segurança reforçada. E essas demandas custam altos valores. De acordo com o Índice FipeZAP+ de Venda Residencial, em dezembro, o preço médio de venda na cidade do Rio ficou em R$ 9.860 por cada metro quadrado.

O índice ainda revela que Leblon, Ipanema e Lagoa são os bairros mais caros da capital. De acordo com um levantamento Mbras, empresa especializada em gerenciamento de imóveis de alto padrão, três das cinco coberturas mais luxuosas da Cidade Maravilhosa estão localizadas ao longo da Avenida Vieira Souto, enquanto as duas que completam a lista estão também próximos, na Avenida Delfim Moreira.

A Avenida Vieira Souto é conhecida também por ter o mais alto custo por metro quadrado da América Latina. Em outubro de 2021, o DataZAP+, empresa de inteligência imobiliária do grupo Zap, divulgou que o preço médio do metro quadrado na região era de R$ 21.612,19.

Os paulistas e cariocas mais endinheirados não escondem sua preferência pelas praias em Ipanema e Leblon. Mas os ricos de fora do país e de outros estados mais afastados no Brasil têm preferência pela Avenida Atlântica, em Copacabana. Os prédios são em geral mais antigos mas o calçadão largo e muito mais movimentado tem a preferência destes clientes. Eles chegam a comprar 2, 3 apartamentos e juntá-los, e já tivemos clientes tão apaixonados por prédios na orla de Copacabana que fizeram sozinhos obras na fachada do edifício inteiro ou reformas em portarias com seu próprio dinheiro“, conta Lucy Dobbin, superintendente de vendas da Sergio Castro Imóveis, com loja em Leblon e Copacabana, entre outros bairros. Dobbin confirma que os prédios mais valorizados, todavia, hoje ficam nas orlas de Ipanema e Leblon.

Varanda do Ipa Studios Design, da SIG Engenharia em Ipanema


Lucas Melo, diretor executivo da Mbras, diz que, no Rio, o mercado imobiliário gira em torno do mar. Quanto mais próximo, e exclusivo, mais alto será o valor.

A Zona Sul realmente possui uma natureza indescritível, como a Pedra do Arpoador, o Mirante do Leblon, o Morro Dois Irmãos, entre outros. Além de construções emblemáticas como o Forte de Copacabana, o Copacabana Palace, o antigo Hotel Leblon ou o calçadão tombado de Roberto Burle Marx. Mas, há algo que aumenta, ainda mais, seu valor no mercado e são as atividades. É uma região que concentra restaurantes, teatros, bares avaliados como os melhores da cidade, lojas de marcas de luxo, e muito mais. Todo um mundo de luxo acessível a pé; segundo Lucy, esta é das principais razões pela qual o metro quadrado em relevante parte da Zona Sul é tão mais procurado e caro que na Barra da Tijuca, por exemplo.

Existem, assim, cinco edifícios de apartamentos considerados os mais luxuosos (e caros) na Cidade Maravilhosa. Confira quais são os condomínios, todos na orla de Ipanema e Leblon, segundo a pesquisa da Mbras:

Atlântico Sul

A lista começa com um imóvel na queridinha Avenida Vieira Souto, em Ipanema. O condomínio Atlântico Sul, de torre única, possui apartamentos com 600 metros quadrados, contendo cinco dormitórios e cinco vagas. O preço para viver em um local como este chegar aos R$ 48 mil por metro quadrado (ou até R$28,8 milhões).

Foto: Google Maps

Juscelino Kubitschek

Construído em 1962, o condomínio residencial Juscelino Kubitschek, também na Avenida Vieira Souto, é um prédio com apartamentos de 600 metros quadrados, com quatro dormitórios e quatro vagas de garagem. Segundo a Mbras, os preços ficam em torno de R$ 53 mil o metro quadrado (ou R$ 31,8 milhões).

Foto: Google Maps

Edifício Ana Carolina

De acordo com o Mbras, os apartamentos à venda no Edifício Ana Carolina são os maiores do bairro do Leblon. O prédio está localizado na avenida Delfim Moreira e têm área construída de 685 metros quadrados: são cinco quartos e cinco vagas de garagem. O metro quadrado custa cerca de R$ 65 mil (ou seja, um apartamento no prédio é avaliado em R$ 44,5 milhões).

Foto: Google Maps

Juan Les Pins

Os apartamentos de luxo contam com, aproximadamente, 600 metros quadrados, quatro suítes, sendo o master com dois banheiros e dois closets. De acordo com um estudo da Mbras, o metro quadrado custa cerca de R$ 80 mil. Isso leva o preço de um apartamento para R$ 48 milhões.

Foto: Google Maps

Edifício Cap Ferrat

O campeão. Em primeiro lugar está o edifício Cap Ferrat, considerado o mais caro de todo o Rio de Janeiro. Situado na Avenida Vieira Souto, em Ipanema, o prédio possui vista para o mar e seus apartamentos contam com 600 metros quadrados, varandas e quatro suítes, além de atividades de lazer. Os preços ficam em torno de R$ 100 mil o metro quadrado, de acordo com o levantamento. Com isso, um apartamento pode chegar a custar R$ 60 milhões.

Foto: Google Maps
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui