Refugiados venezuelanos se formam em curso com bolsa da Prefeitura do Rio

A iniciativa é uma parceria entre a Prefeitura do Rio, a Organização Internacional para as Imigrações e a ONG Aldeias Infantis SOS, que abrigam e dão suporte a refugiados vindos da Venezuela por meio da fronteira internacional

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Refugiados venezuelanos vão se formar em curso na UERJ

Cerca de 80 jovens venezuelanos de 15 a 29 anos de idade concluem na próxima sexta-feira (dia 27.01) os cursos Papo de Futuro e Fala, Juventude, ambos da Secretaria Especial da Juventude Carioca (JUVRio) no Morro do Banco, zona oeste do município. A iniciativa é uma parceria entre a Prefeitura do Rio, a Organização Internacional para as Imigrações e a ONG Aldeias Infantis SOS, que abrigam e dão suporte a refugiados vindos da Venezuela por meio da fronteira internacional. Os jovens recebem da JUVRio auxílio financeiro para participar dos cursos.

Os jovens realizaram as aulas na ONG Floresta da Barra, localizada no Morro do Banco, no período da manhã e tarde. O Papo de Futuro e o Fala, Juventude são parte do Emprega JUV, o programa de empregabilidade da Secretaria da Juventude, que capacita e encaminha jovens em vulnerabilidade para o mercado de trabalho. Os cursos foram ofertados entre os dias 23 e 27 de janeiro e a certificação ocorrerá no sábado, 4 de fevereiro, às 15h, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), campus Maracanã.

O Secretário de Juventude Carioca, Salvino Oliveira, explica como o Emprega JUV é um programa exemplo de promoção de redução de desigualdades por meio desenvolvimento com orientação, qualificação e direcionamento para o mercado de trabalho. “A nossa missão é democratizar as oportunidades para os jovens que mais precisam. Quando soubemos da necessidade dessas famílias, não hesitamos em oferecer nosso aparato com professores que melhor poderiam direcioná-los para os seus sonhos. Todos têm o direito a ter uma vida digna e o carioca é exemplo em solidariedade e acolhimento”, diz.

Ana Cristina Nunes é coordenadora da ONG Aldeias Infantis SOS, parceria da JUVRio na ação. Trabalhando com a promoção da família, a organização acolhe refugiados venezuelanos no Rio de Janeiro. Mensalmente, mais de 35 famílias chegam de Roraima para o local via Operação Acolhida do Exército Brasileiro. Ao chegar ao local, os refugiados moram por cerca de quatro meses gratuitamente até que estejam estabelecidos com moradia, documentação e trabalho. “Foi uma formação muito importante. Nós percebemos que na comunidade faltam atividades para os jovens. O mercado de trabalho para eles é complicado porque muitos ficam em desvantagem com os demais que estão atrás das mesmas vagas. Já existe a barreira da língua e da escolaridade e essa parceria foi essencial para a capacitação porque eles aprenderam como fazer um currículo, se comportar em uma entrevista de emprego e planejar o futuro, por exemplo”, disse a coordenadora da ONG Aldeias Infantis SOS.

Advertisement

Leia também

Águas do Rio alega não saber sobre situação da Cedae mas presidente foi diretor da empresa – Bastidores do Rio

Antiga garagem da Silveira Martins é vendida por R$19,7 milhões a incorporadora

As aulas do Fala, Juventude proporcionaram aos jovens o contato com conhecimentos das áreas arte e cultura. Já as turmas do Papo de Futuro propuseram aos jovens uma reflexão e entendimento sobre suas aptidões vocacionais. A partir do reconhecimento de suas habilidades, competências e expectativas de futuro, os participantes tiveram a chance de desenvolver uma reflexão rica sobre si mesmos e do mundo do trabalho. Os participantes dos dois projetos receberão auxílio financeiro de R$ 187,40 e R$ 234,25, respectivamente.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Refugiados venezuelanos se formam em curso com bolsa da Prefeitura do Rio

Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui