Reparo em vazamento encerra desperdício de 1 bilhão de litros de água tratada na Baixada Fluminense

Segundo Águas do Rio, a perda foi de 500 piscinas olímpicas, no período de 20 anos

Foto: Divulgação

Durante uma vistoria técnica em Jardim Guandu, a equipe da Águas do Rio solucionou um vazamento em uma válvula ventosa que desperdiçou de forma ininterrupta mais de 1 bilhão de litros de água ao longo de duas décadas. “Nasci e cresci neste lugar e sempre vi a água correr. Durante muitos anos, ficamos de mãos atadas diante de tanto desperdício. Chegava a sentir um aperto no coração, porque não conseguíamos fazer nada”, contou Fabiana dos Santos, moradora da localidade.

O equipamento que passou por reparos está instalado em uma adutora, classificada como de grande porte, e integra o Sistema de Abastecimento de Ribeirão das Lajes, que fornece água para os municípios do Rio de Janeiro. De acordo com um levantamento realizado pelo Projeto de Perdas da Águas do Rio, o volume desperdiçado seria suficiente para encher 500 piscinas olímpicas ou para abastecer uma cidade com 74 mil habitantes durante um mês, o que corresponde a 70% da população da cidade de Japeri, por exemplo.

“Com a rotina de percorrer as tubulações para identificar possíveis problemas, chegamos a este vazamento, que imediatamente foi reparado por nossas equipes. Realizamos o reparo substituindo as peças oxidadas e interrompendo esse desperdício de água que durou tanto tempo”, explicou Thiago Pereira, Supervisor do Projeto de Perdas da Águas do Rio.

Na Rua Evaristo Neves, local do escape, possui cerca de 30 residências e o vazamento, que se tornou histórico, fazia parte do dia a dia dos moradores. O aposentado João Batista de Oliveira, que reside no bairro há cerca de 40 anos, ressaltou a importância da ação da concessionária. “A vizinhança toda conhecia esse vazamento e, infelizmente, ninguém nunca tinha conseguido resolver. É bom saber que a Águas do Rio consertou um problema que durou tanto tempo”, contou.

Tecnologia a favor do saneamento básico

Combater as perdas de água tratada tem sido um desafio encarado como prioridade pela Águas do Rio. Além das vistorias diárias, o planejamento da concessionária inclui a utilização do geofone, um amplificador que tem a função de detectar vazamentos não visíveis em ruas e avenidas, escutando o som característico, sinais de vibração ou ruídos nas tubulações.

“Nosso objetivo é reduzir o índice de perdas d’água da Baixada Fluminense. Para isso, unimos a tecnologia dos aparelhos utilizados ao preparo dos operadores em campo. Assim, as equipes podem executar reparos de maneira mais assertiva”, explicou o gerente de Operações da Águas do Rio, Leonardo Canto, que atua nos municípios de Nova Iguaçu, Japeri, Queimados, Mesquita e Nilópolis.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui