Restaurante Albamar: história viva no Centro do Rio

No dia 12 de novembro de 1933, o empresário Rodolfo Souza Dantas inaugurou o Albamar em uma das torres do antigo mercado do Largo de Moura. A especialidade da casa, desde sempre, são os frutos do mar

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Único estabelecimento comercial remanescente do antigo mercado que ficava no Largo de Moura (onde hoje é a Praça Marechal Âncora), o Restaurante Albamar, com seus quase 90 anos de vida, faz parte da história da Cidade Maravilhosa.

No dia 12 de novembro de 1933, o empresário Rodolfo Souza Dantas inaugurou o Albamar em uma das torres do antigo mercado do Largo de Moura. A especialidade da casa, desde sempre, são os frutos do mar.

O mercado do Largo de Moura tratava-se de um comércio focado em peixes, graças à proximidade com o porto.

rio-de-janeiro-benfica-mercado-municipal-1957_foto-agencia-estado

Embora estivesse localizado em uma área bastante popular e comercial, o restaurante, que sempre serviu frutos do mar da melhor qualidade e é privilegiado por uma vista fantástica, sempre foi frequentado por pessoas com poder aquisitivo alto.

Advertisement

Leia também

RJ continua com previsão de chuva nesta quinta-feira

Águas do Rio alega não saber sobre situação da Cedae mas presidente foi diretor da empresa – Bastidores do Rio

No ano 1962, aconteceram dois fatos importantes na história do restaurante. O pavilhão onde funciona o Albamar foi tombado e o mercado demolido.

Demolição Mercado do Largo de Moura

O fim do mercado e, posteriormente obras na região da Praça XV, como a construção do mergulhão, a princípio, afetaram o Albamar. O restaurante ficou meio isolado. No entanto, com competência, a administração do estabelecimento, conseguiu se manter muito bem até hoje em dia” afirmou o historiador Maurício Santos.

Esse “se manter muito bem” teve seu auge nos anos 1970. Neste período, o restaurante era muito frequentado por políticos, diplomatas e outras pessoas influentes. Jânio Quadros e Juscelino Kubitschek eram figuras constantes no Albamar.

Nas décadas seguintes, anos 1980 e 1990, o restaurante Albamar passou por um período complicado. O estabelecimento não estava mais lucrando como em outros tempos. Contudo, a fase ruim passou.

5843070872977408

Em 2013, o Albamar, que é tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), promoveu um grande evento para comemorar seus 80 anos de idade. Foi um sucesso – como boa parte do passado do local.

SERGIO CASTRO - A EMPRESA QUE RESOLVE, desde 1949
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis – a empresa que resolve contribui para a valorização da cultura carioca

Três anos depois, em 2016, após a demolição do Elevado da Perimetral e a revitalização de parte da Região Portuária, o restaurante ganhou uma bonita praça e um bar no térreo

Alguns anos depois, com a chegada de novos sócios, o Albamar passou a se chamar Âncoramar. Recentemente, retomou o nome histórico, mantendo a tradição quase centenária. A nova gestão criou em seu último andar, todo envidraçado e com 360 graus de linda vista, uma sala de jantar e eventos particular para receber até 20 convidados. O restaurante é um dos únicos da região central que possui estacionamento.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Restaurante Albamar: história viva no Centro do Rio

Advertisement

2 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns pela reportagem, Lucena! Lembro do Albamar que funcionava em uma das torres do antigo Mercado Municipal. Com as obras de remodelação da área da Praça XV e a construção da praça onde hoje o estabelecimento está localizado, o Rio de Janeiro ganhou um presente bonito.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui