Rio Construção Summit, maior evento nacional do setor, recebe 10 mil participantes em três dias de atividades

Retorno do evento à cidade foi extremamente positivo para os representantes do setor, que ficaram surpresos com o sucesso do Summit

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Divulgação

O Rio Construção Summit 2023, maior evento do setor já realizado no Brasil, encerrou, nesta quinta-feira (21), os seus três dias de atividades, com o recorde de mais de 10.000 visitantes – o dobro do esperado pelos organizadores do evento, que aconteceu no Armazém 3 do Píer Mauá. Foram realizados 72 painéis, dos quais participaram 280 debatedores, palestrantes e moderadores.

Para Claudio Hermolin, presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro (SindusconRio), o retorno do evento à cidade foi extremamente positivo para os representantes do setor, que ficaram surpresos com o sucesso do Summit.

 “Há muito tempo não fazíamos um evento da indústria da construção aqui no Rio de Janeiro. E isso fez com que as pessoas tivessem esquecido o tamanho, a pujança e a força do nosso setor. Retomamos com o pé direito em um evento que, certamente, vai ficar no calendário e na história da cidade do Rio”, disse Hermolin, destacando a importância educacional do evento, que atraiu 2.500 estudantes. “A Firjan SENAI SESI, o Sebrae, nós do Sinduscon estamos aqui ajudando a formar a mão de obra do futuro. Tivemos mesas falando sobre formação, relação do trabalho com a escola. Falamos da construção concreta, aço, madeira, mas teve também rodada de RH com estudante, rodada de negócios, isso é muita coisa. Foi um evento excepcional, acima das expectativas, que já eram altas”, concluiu Hermolin.

O presidente do Fórum da Construção da Firjan, Marcelo Kaiuca, por sua vez, defendeu a continuidade da iniciativa. “Criamos um evento para movimentar a cidade e o mercado que, aliás, vive hoje um momento glorioso. O Rio precisa disso, o mercado precisa desse movimento. Foi um trabalho que nos demandou bastante e gostaria de agradecer a absolutamente todos que contribuíram para esse evento”.

Advertisement

Já presidente da Federação, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, disse que Rio Construção Summit evidenciou a importância do setor de construção para a economia brasileira. “Os números são impressionantes. Foi um evento de porte internacional, com conferências e debates muito ricos. Movimentamos engenheiros, arquitetos, estudantes e a opinião pública e mostramos a grande contribuição da indústria da construção para o desenvolvimento econômico e social do Brasil”, disse Eduardo Eugênio.

Um das atrações do evento foi a transmissão da palestra de Jaechul Park, diretor financeiro da Songdo Project Management Company, que falou sobre o projeto de construção de Songdo, uma cidade inteligente da Coreia do Sul. A região, que foi construída do zero, entre 2003 e 2015, cresceu 5 vezes mais nos últimos 10 anos e, atualmente, conta com mais de 265 mil habitantes. Songdo atraiu mais de 2.170 empresas, por conta das suas propostas de sustentabilidade, conectividade e qualidade de vida para a população. “Três fatores foram muito importantes para esse sucesso: a localização, o apoio das autoridades e um diretor de projetos com muita experiência”, disse o executivo, revelando que o sistema de transporte da cidade foi inspirado no modelo curitibano. Park também participou do debate “Futuros possíveis para a construção e as smart cities”, ao lado de Marcelo Kaiuca, Isaac Plachta, Carla Pinheiro e Mauro Viegas – todos representantes da Firjan.

O uso da metodologia BIM no setor da construção foi outro assunto que atraiu a atenção do público. Na mesa-redonda sobre o assunto, os participantes do evento presenciaram o lançamento da 3ª fase do projeto Macro Adoption – A Global BIM Study, estudo que promete entregar uma visão global e tendências sobre o tema. “Por que escolhemos o Brasil para lançar o início desta terceira fase? Pelo menos 20% de nossos voluntários vêm do Brasil, o que é um dado incrível”, contou Eduardo Toledo, pesquisador e professor da Universidade de São Paulo (USP). Participaram do debate: Mohamad Kassem, pesquisador e professor de Nedw Castle (Inglaterra); Bilal Succar, fundador da BIM Initiative (Austrália); Cristiane Magalhães, da Firjan; e Danny Murguia, pesquisador associado na Universidade de Cambridge (Inglaterra).

Ainda sobre tecnologias e inovação, o  Summit contou com a presença de um engenheiro gaúcho, que está à frente de um estudo financiado pela NASA, para a construção da infraestrutura de uma futura base lunar. Lucio Soibelman participou da mesa-redonda “Impulsionando a Inovação: Gêmeos Digitais e Desenvolvimento de Tecnologias para Construção na Lua”.

“Hoje a robótica está chegando muito na construção. Pode-se usar a realidade virtual para operar equipamentos. Temos impressora de concreto. A Inteligência Artificial não vai tirar empregos, pelo contrário. A IA vai gerar mais empregos”, afirmou Soibelman em sua apresentação.

Realizado pelo SindusconRio (Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio de Janeiro), o Rio Construção Summit 2023 contou com a apresentação da Firjan e teve como parceiros estratégicos a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção), o Sinicon (Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada – Infraestrutura), a FIIC (Federação Interamericana da Indústria da Construção) e a CNI (Confederação Nacional da Indústria). O evento ainda contou com o apoio do Governo do Estado do Rio e Prefeitura do Rio.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Rio Construção Summit, maior evento nacional do setor, recebe 10 mil participantes em três dias de atividades
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui