Rio cria Centro de Operações de Emergência para o combate da Dengue

O plano de contingência para combater a epidemia de dengue no Rio de Janeiro foi realizado nesta sexta-feira (02/02), durante entrevista no Centro de Operações Rio (COR)

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
O planejamento prevê uma série de medidas para a assistência da população e o combate ao Aedes aegypti - Foto: Beth Santos/Prefeitura do Rio


O prefeito Eduardo Paes e o secretário de Saúde, Daniel Soranz, divulgaram nesta sexta-feira (02/02) o plano de contingência para combater a epidemia de dengue no Rio de Janeiro, durante entrevista no Centro de Operações Rio (COR). O plano abrange medidas abrangentes para assistência à população e controle do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Entre as estratégias estão a criação do Centro de Operações de Emergência (COE-Dengue); abertura de dez polos de atendimento em todo o município; alocação de leitos específicos para pacientes com dengue nos hospitais municipais; utilização de carros fumacê em áreas de alta incidência; e entrada compulsória em imóveis fechados e abandonados.

Paes fez um apelo à população, destacando que, ao contrário da pandemia de COVID-19, a dengue depende significativamente da ação individual de cada cidadão para evitar a proliferação do mosquito. No início deste ano, o Rio de Janeiro já registra mais de 10 mil casos de dengue, com uma taxa de incidência de 160,68 por 100 mil habitantes. Em todo o Brasil, são 243,7 mil casos, com 24 óbitos confirmados e 163 em investigação.

A SMS realizará a vacinação de crianças e adolescentes de 10 a 14 anos contra a dengue assim que os imunizantes forem liberados pelo Ministério da Saúde. Além disso, será iniciado um estudo de vacinação na região de Guaratiba, na Zona Oeste, em parceria com a Fiocruz e o Ministério da Saúde, imunizando 20 mil pessoas de 20 a 40 anos.

Para combater o vetor, serão utilizados 16 carros para aplicação espacial do inseticida UBV (fumacê) em áreas com maior incidência. Entradas compulsórias em imóveis fechados e abandonados também serão realizadas para vistorias e medidas preventivas. A SMS enfatiza a importância da participação da população e promove ações educativas.

Advertisement

O COE-Dengue foi criado nos moldes do Centro de Operações de Emergência para a COVID-19 e coordenará as ações de enfrentamento à dengue, elaborando protocolos e análises relacionadas à situação epidemiológica da doença na cidade.

O primeiro polo de atendimento para pacientes com dengue será inaugurado na Zona Oeste, no CMS Raphael de Paula Souza, em Curicica, na próxima segunda-feira (05/02), com outros nove previstos para abertura gradual em diferentes regiões da cidade. Os polos contarão com equipes dedicadas para diagnóstico, assistência e tratamento de pacientes com dengue.

A SMS utilizará ainda carros fumacê em áreas com maiores incidências de dengue, e a entrada compulsória em imóveis fechados e abandonados será realizada para vistorias e medidas preventivas.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Rio cria Centro de Operações de Emergência para o combate da Dengue
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui