Rio de Janeiro é o terceiro estado do país com maior número de novas empresas em 2022

Somente no mês de novembro, o estado do Rio de Janeiro registrou a abertura de 28.608 novos empreendimentos

Largo da Carioca, centro do Rio de Janeiro - RJ | Foto: Rafa Pereira - Diário do Rio

De acordo com os dados do ‘Mapa de Empresas’ do Ministério da Economia, o estado do Rio de Janeiro ocupa a terceira colocação na lista de empresas criadas no país entre janeiro e novembro. No período, foram abertos 295.891 novos empreendimentos, levando-se em conta o número de empresas extintas, o saldo do período ficou em 175.103 novos negócios. Na frente, estão São Paulo, com saldo de 609.027, e Minas Gerais, com 204.511. Atualmente o estado conta com mais de 1,7 milhão de empresas ativas.

“Esse levantamento do governo federal mostra que a economia do Rio de Janeiro é a terceira mais dinâmica do país. Resultado do compromisso que assumimos de garantir um ambiente de negócios atraente e favorável aos investidores e empreendedores, possibilitando a geração de empregos e renda para a população, e o crescimento econômico de nosso estado”, afirmou o governador Cláudio Castro.

O ‘Mapa das Empresas’ aponta que atividade econômica com maior número de negócios ativos é cabelereiro, manicure e pedicure, com 91.194 empresas. Na sequência, estão o comércio varejista de artigos de vestuário/acessórios e o fornecimento de alimentos preparados principalmente para consumo domiciliar, com 82.220 e 52.046 novos empreendimentos, respectivamente. Acontecimento que se deve a simplificação e diminuição do tempo de abertura de uma nova empresa, que no Sudeste está em 1 dia e 15 horas.

“A terceira colocação do Rio no ranking é fruto de um trabalho que temos aprimorado. Com a digitalização, desburocratização e simplificação de processos, que a Junta Comercial do estado (Jucerja) tem promovido, facilitamos a vida dos empreendedores na abertura de novas empresas”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Energia e relações Internacionais, Cássio Coelho.

O presidente da Jucerja, Sérgio Romay, explica que o levantamento do governo federal também leva em consideração os Microempreendedores Individuais (MEIs) abertos até novembro de 2022. “Aqui na Jucerja, contabilizamos 67.173 novas empresas de janeiro a novembro, número 4% maior do que o do mesmo período em 2021. A expectativa é de um novo recorde de aberturas de empresas no final do ano”, destacou.

O Sudeste foi a região que mais registrou novas empresas de janeiro a novembro e no período compreendido no levantamento de dados, mais de 1,82 milhão de empresas foram abertas e o saldo ficou positivo em 1,03 milhão. No total, a região detém metade das empresas do país e conta atualmente com 10,1 milhões de empresas ativas. Destas, 9,73 milhões são matrizes e 370 mil filiais, todas em atividade.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui