Rio recebe Congresso Internacional de Cardiologia

Doenças do coração são as que mais matam no mundo. No Brasil, estima-se mais de 220 mil mortes em 2023

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Começa nesta quinta-feira (03/08) e vai até sábado (05/08) a segunda edição do Congresso Internacional de Cardiologia da Rede D’Or São Luiz, que acontecerá no Windsor Barra Hotel, na Barra da Tijuca. Os principais cardiologistas do país, além de convidados internacionais, como o Renato Lopes, professor titular da Divisão de Cardiologia da Duke University (EUA), vão apresentar os avanços no diagnóstico, tratamento e prevenção das doenças cardíacas, que são a principal causa de morte no mundo. Somente no

Brasil, a Sociedade Brasileira de Cardiologia projeta 220 mil óbitos em 2023. O que representa uma morte a cada 90 segundos. Desde as doenças mais comuns, como a hipertensão, a insuficiência cardíaca e a cardiopatia, até as mais raras como a amiloidose cardíaca, juntas, causam o dobro de mortes do câncer, por exemplo.

O evento irá tratar todos os estágios dos problemas cardíacos, desde a prevenção, passando pelo diagnóstico e formas de tratamento, apresentando as mais recentes novidades da cardiologia mundial. “É uma excelente oportunidade de reunir profissionais de renome na área cardiológica, compartilhando informações de extrema relevância e debatendo importantes casos clínicos”, afirma a diretora de cardiologia da Rede D’Or, Olga Ferreira de Souza. A abertura oficial do congresso será na sexta-feira, com uma mesa sobre prevenção, que vai ressaltar a importância de questões como exercícios físicos e de uma boa noite de sono, bem como o uso de vitaminas e suplementos.

Entretanto a programação começa nesta quinta-feira, com um simpósio sobre arritmia. Os cardiologistas alertam que a mudança na pirâmide populacional brasileira exige uma atenção ainda maior com a parcela mais idosa. Segundo projeções, em 2030, os idosos representarão quase que 17% da população brasileira. Um exemplo que vai ser bastante discutido no congresso é a prevalência, em pessoas com mais de 65 anos, da fibrilação atrial, que é uma arritmia que forma coágulos no coração, que podem se desprender e causar um AVC. Para complicar, 50% dos pacientes podem ter uma fibrilação atrial sem sintomas. E o primeiro ser justamente o AVC. Em média, nos últimos anos, mais de 80 mil pessoas morreram de AVC.

Advertisement

Cursos em paralelo

O congresso ainda contará com cursos “hands on”, onde os alunos poderão exercer na prática os métodos aprendidos. Um exemplo é o workshop em POCUS (Point-of-Care Ultrassound) Cardiovascular Integrado Avançado, que trará módulos sobre ecocargiodrama POCUS, ultrassonografia pulmonar, entre outras abordagens. Outro curso será o de Suporte Circulatório Mecânico, que contará com conteúdo teórico e práticas de trabalho envolvendo os dispositivos ECMO (oxigenação por membrana extracorpórea), Heart Mate III, Impella e Balão intra-aórtico, além de aulas sobre insuficiência cardíaca e monitorização hemodinâmica. O ECMO, por exemplo, foi um equipamento muito utilizado em UTIS durante a pandemia.

Serviço
Congresso Internacional de Cardiologia da Rede D’Or
Datas: 03, 04 e 05 de agosto
Inscriçõeswww.congressocardiologiador.com/
Local: Windsor Barra Hotel – Avenida Lúcio Costa, 2630, Rio de Janeiro – RJ

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Rio recebe Congresso Internacional de Cardiologia
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui