Rio registra menor número de mortes violentas no mês de fevereiro, em 34 anos

Nos dois primeiros meses do ano, o Estado do Rio registrou o menor índice de homicídios desde 1991, segundo Instituto de Segurança Pública (ISP). Também houve queda nos indicadores de letalidade policial e roubo de cargas

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Divulgação

Nos dois primeiros meses de 2024, os crimes contra a vida, ou Letalidade Violenta registraram um recuo de 21%, em comparação com o mesmo período de 2023, segundo o Instituto de Segurança Pública (ISP). O resultado é o menor desde o início da série histórica na Segurança Pública do Estado do Rio, em 1991. A Letalidade Violenta envolve crimes, como homicídio doloso, morte por intervenção por agente do Estado, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte.

As mortes causadas pela ação policial também sofreram uma queda significativa de 45%, no comparativo a 2023, tanto no acumulado até fevereiro quanto no mês, atingindo os níveis mais baixos desde 2016. Os homicídios dolosos – com intenção de matar – também registraram um recuo de 13%, na comparação com os primeiros dois meses do ano passado, sendo que em fevereiro deste ano a queda foi de 23%. Os índices são os mais baixos para o mês e para o acumulado, em 34 anos.

Para o governador Cláudio Castro (PL), a melhora dos indicadores da Segurança Pública fluminense é resultado de investimentos e uso de tecnologia de ponta na área.

“Alcançar uma redução tão expressiva nos crimes contra a vida é algo que precisa ser destacado. Temos trabalhado muito para isso, com investimentos em treinamento e tecnologia nas nossas forças de segurança. E vamos continuar trabalhando para reduzir ainda mais esses e outros indicadores”, afirmou o chefe do Executivo estadual.

Advertisement

Com um recuo de 41%, no primeiro bimestre de 2024, o roubo de cargas alcançou a sua menor marca, com 365 ocorrências – 253 roubos a menos do que em 2023. Na avaliação mensal, a queda foi de 48%, menor número de ocorrências desde 1999.

Nos dois primeiros meses do ano, a Polícia fluminense apreendeu mil armas de fogo – média de 17 por dia. Desse total, 128 eram fuzis, contabilizando um avanço de 6% na apreensão do armamento de guerra. No bimestre, foram realizadas 6.855 prisões em flagrante; e 2.654 veículos roubados ou furtados foram recuperados pela Polícia.

O secretário de Segurança, Victor dos Santos, ressaltou que o Estado tem registrado uma queda significativa de homicídios mês a mês, como resultado de “trabalho, com integração, foco e eficiência”.

“Os números consolidados pelo Instituto de Segurança Pública mostram que enquanto a produtividade policial vem aumentando, foram quase 1 mil armas apreendidas em dois meses, os crimes contra a vida vêm caindo mês a mês. Esse é o resultado de muito trabalho, com integração, foco e eficiência”, disse o secretário de Segurança.

Para a diretora-presidente do ISP, Marcela Ortiz, os bons índices manifestam o trabalho integrado das forças de segurança baseado em estratégias de policiamento elaboradas a partir do uso de dados.

“O apoio do Governo do Rio à cultura de uso de dados representa um divisor de águas para a segurança pública fluminense. A partir das evidências, é possível elaborar estratégias de policiamento direcionadas, levando em consideração as especificidades locais do Rio de Janeiro”, concluiu Marcela Ortiz.

Informações: Correio da Manhã

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Rio registra menor número de mortes violentas no mês de fevereiro, em 34 anos
Advertisement

1 COMENTÁRIO

  1. O comentário de Jair Renan, filho vagabundo do vagabundo Bolsonaro, atacando os Cariocas, confirma aquilo que eu venho falando aqui: O BOLSONARISMO ODEIA O RIO DE JANEIRO.

    Depois das falas de Jair Renan se ainda tem Carioca que vota em membros dessa família ou aliados políticos desses pulhas, já estão dizendo na nossa cara: ODIAMOS O RIO DE JANEIRO E QUEREMOS ELE NO BURACO!

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui