A segurança é um dos temas mais importantes da atualidade no mundo todo e preocupa autoridades e a sociedade como um todo. O Rio a uma cidade forum permamente para discursões de vários temas, pois é uma cidade que tem no seu gene o conhecimento e uma forte conotação intelectual. Dessa forma mais um evento dessa envergadura acontece em terras cariocas, e traz para o centro dos debates um tema tão importante e com a presença de especialistas de todo o mundo. Começou ontem a V Conferência do Forte de Copacabana sobre Segurança Internacional.

O Ministro da Defesa, Nelson Jobim, fez a palestra inaugural com o tema "Desafios à segurança regional na América do Sul". O evento internacional, que acontece no Hotel JW Marriott em Copacabana), termina hoje e tem como objetivo promover a reflexão e o debate sobre políticas de segurança e de defesa de acordo com uma perspectiva bi-regional, centrando o debate em torno do impacto da eleição presidencial nos EUA.

Participaram da solenidade de abertura Wilhelm Hofmeister, diretor do Centro de Estudos da Fundação Konrad Adenauer, Alfredo Valladão, diretor da Cátedra Mercosul da Sciencies Po, da França, e Christian Burgsmüller, primeiro secretário chefe da seção para Assuntos Políticos, Econômicos e de Informação, da Delegação da Comissão Européia no Brasil, representando o embaixador João Pacheco.

Hofmeister destacou, na abertura do evento, o aumento significativo no número de participantes e falou da importância de debater o tema segurança internacional com toda a sociedade.

"A V Conferência deve contribuir para o debate acerca do assunto, inclusive com a publicação do que for discutido aqui."

Esta é a quinta edição brasileira do evento que, em junho deste ano, realizou sua primeira edição fora do Brasil, em Bruxelas. A iniciativa pretende promover o intercâmbio de experiências, a intensificação do diálogo e o fortalecimento da cooperação na área de segurança internacional. Como no ano passado, a conferência é fruto de uma parceria entre o Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI), o Centro de Estudos das Américas da Universidade Cândido Mendes (CEAs), a Cátedra Mercosul da Sciences Po (Universidade de Paris) e a Fundação Konrad Adenauer no Brasil. O evento conta também com o apoio da Delegação da Comissão Européia no Brasil e da EADS, uma das maiores empresas atuantes nos mercados aeroespacial e de defesa.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui