Foto: Reprodução

No ano passado, o Laboratório de Dados sobre violência armada Fogo Cruzado registrou 9.651 tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana do Rio de Janeiro – média de 26 ocorrências por dia, com um total de 1.480 mortes e 1.363 feridos.

Destes números de mortos e feridos, 113 (das pessoas que morreram) e 221 (das que foram feridas) eram agentes de segurança – categoria abrange policiais civis, militares, federais, guardas municipais, agentes penitenciários, bombeiros e militares das forças armadas na ativa, na reserva, reformados etc.

O mês mais violento do ano de 2018 foi o de agosto. Totalizando 1.013 tiroteios/disparos de arma de fogo que resultaram em 139 mortos e 130 feridos. O dia com mais tiros no ano foi 18 de maio, com 52 disparos. A data com mais mortes foi 20 de agosto: 18 óbitos. Já o mês com mais mortes foi março, que teve 166 casos.

A capital do estado do Rio de Janeiro responde por 59% de todos os tiros registrados na região metropolitana (5.713), seguido por São Gonçalo (913), Belford Roxo (734) e Niterói (554) e Duque de Caxias (427). O registrado pela cidade do Rio é quase o total registrado na região metropolitana em 2017 (5.993).

A Zona Norte foi a região do Grande Rio com o maior número de tiroteios: 2873, o equivalente a 30% do total de registros em toda Região Metropolitana. Em segundo lugar está a Baixada Fluminense com 2273 registros, seguida da Zona Oeste, que teve 1875 notificações.



A Baixada Fluminense apresentou o maior número de mortos por tiros em 2018: foram 518 registros, ou seja 35% de todas as mortes mapeadas em tiroteios/disparos de arma de fogo na Região Metropolitana durante o ano de 2018 (1480).

Durante todo o ano de 2018, o Fogo Cruzado registrou 1.932 tiroteios/disparos de arma de fogo em áreas com Unidades de Polícia Pacificadora (UPP), o correspondente a 20% do total de notificações em toda a Região Metropolitana (9.651).

O Fogo Cruzado mapeou 334 agentes de segurança baleados no Grande Rio em 2018: em mais da metade dos casos os agentes estavam fora de serviço (52%). Muitos foram vítimas de roubos ou de tentativas de roubo – 25 mortos e 36 feridos. No ranking de municípios com maior número de agentes de segurança mortos a tiros estão: Rio de Janeiro (58), São Gonçalo (11) e Duque de Caxias (11).

O balanço de 2018 é composto por uma série de informações que detalham indicadores como: bairros e municípios com mais notificações de tiroteios e disparos de arma de fogo; índices de vítimas fatais e feridos; presença policial durante tiroteios; mortalidade de crianças e idosos; vitimização policial; vítimas de balas perdidas, entre outros.

Felipe Lucena

Felipe Lucena é jornalista, roteirista, redator, escritor, cronista. Filho de nordestinos, nasceu e foi criado na Zona Oeste do Rio de Janeiro, em Curicica. Sempre foi (e pretende continuar sendo) um assíduo frequentador das mais diversas regiões da cidade do Rio de Janeiro.

85 COMENTÁRIOS

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui