RioGaleão: Fiscais apreendem carne suína na bagagem de passageiro vindo da Rússia, pais com foco de peste suína

A doença, que afeta somente suínos, é viral contagiosa e não tem tratamento ou cura, podendo dizimar rebanhos

Em caso de contaminação, O Brasil poderia ter um prejuízo de US$ 5,5 bilhões, segundo a Embrapa / Divulgação: Governo Federal

Mais de 5kg de carne suína provenientes da Rússia foram apreendidas por auditores fiscais federais agropecuários do Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro), no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro (RioGaleão), neste domingo (4). Os produtos foram encontrados na bagagem de um passageiro proveniente do território russo, país que, atualmente, enfrenta dificuldades sanitárias relacionadas a focos de Peste Suína Africana (PSA). No Brasil, a peste foi erradicada no final da década de 1970.

A doença, que afeta somente suínos, é viral contagiosa e não tem tratamento ou cura, podendo dizimar rebanhos. Em caso de contaminação dos animais nacionais os prejuízos seriam da ordem de US? 5,5 bilhões, apenas no primeiro ano, segundo a Embrapa. Diante da gravidade da doença e dos seus desdobramentos econômicos, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) tem realizado ações fiscalizatórias rigorosas para evitar a entrada da doença no Brasil.

As autoridades e os produtores brasileiros têm tomado todos os cuidados sanitários necessários contra a peste suína, desde que foram identificados focos da doença na República Dominicana. A doença é tão maléfica, que basta apenas um pequeno pedaço de material contaminado para que haja a infecção de um animal ou rebanho. Ao todo, foram apreendidos 5,6 kg de linguiças, salames e outros produtos derivados de carne suína.

Peças de carne de porco apreendidas durante uma
vistoria no RioGaleão, neste domingo / Divulgação

O Sindicato dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (ANFFA Sindical) destacou que tais ações de fiscalização são de extrema importância para evitar que passageiros vindos de países com focos de doenças e pragas inoculem qualquer tipo de patógeno no território nacional. “Investimentos em inteligência e ferramentas para aprimorar a seleção de alvos são imprescindíveis para o serviço de proteção da produção agropecuária brasileira”, afirmou o presidente do ANFFA, Janus Pablo. Ele ressaltou ainda a necessidade do aumento do número de auditores fiscais federais agropecuários (affas) no Brasil. O País, de acordo com o Sindicato, atualmente carece de quase 2 mil profissionais.

Com uma produção de aproximadamente de 4,4 milhões de toneladas, o Brasil é o quarto maior produtor de carne suína no mundo. O País tem na China o seu maior mercado consumidor. A União Europeia lidera a exportação mundial do produto.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui