RJ celebra mês de incentivo à doação de órgãos com mais de 1500 transplantes realizados em 2022

Neste Setembro Verde, o estado do Rio celebra a saída dos últimos lugares para ocupar o terceiro lugar do ranking nacional de transplantes

Foto: Clarice Castro/Governo do Rio de Janeiro

Setembro Verde é o mês de incentivo à doação de órgãos. Pouco falado, o assunto é de grande relevância, já que – assim como as doações de sangue – pode salvar vidas. O estado do Rio possui o Programa Estadual de Transplantes (PET), que cuida desse tipo de procedimento. O DIÁRIO DO RIO entrou em contato com a secretaria Estadual de Saúde para saber a quantidade de transplantes que são realizados no estado.

Segundo a pasta, foram realizados 1528 transplantes de janeiro a julho de 2022, sendo 491 órgãos sólidos transplantados, 102 transplantes de medula óssea, 308 de córnea, 55 de esclera e 572 tecidos músculo esqueléticos disponibilizados para transplante. O número de procedimentos realizados nesse período corresponde a 61,5% do total feito em 2019.

O número sofreu algumas variações devido à pandemia. Em 2021, foram realizados 2.468 transplantes: 784 órgãos sólidos transplantados, 212 transplantes de medula óssea, 580 de córnea, 82 de esclera e 810 tecido músculo esquelético. Já em 2020 o número é um pouco menor: foram 1.936 transplantes, sendo 721 órgãos sólidos transplantados, 257 transplantes  de medula óssea, 374 de córnea, 59 de esclera e 525 tecidos músculo esqueléticos disponibilizados para transplante. Em 2019, antes da pandemia, foram 2.481 transplantes, sendo 819  órgãos sólidos transplantados, 294 transplantes  de medula óssea, 709 de córnea, 38 de esclera e 621 tecidos músculo esqueléticos.

Desde sua criação, em 2010, o PET já realizou mais de 15 mil transplantes, o que permitiu ao Estado do Rio sair dos últimos lugares do ranking nacional para ocupar o terceiro lugar em número absoluto e quinto, por milhão de habitantes. O Estado também está em terceiro lugar no número de notificações de potenciais doadores, com 1.012 registros feitos em 2021.

Foto: Divulgação/Governo RJ

Importância

Apesar de pouco falado, o assunto tema deste mês precisa ser repercutido, como explicou Maria Izabel de Holanda, chefe de serviço de Nefrologia e transplante renal no Hospital de Bonsucesso: “o setembro verde é um mês muito importante para quem trabalha com transplantes. Foi criado em 2014 e desde então é um mês no qual se faz campanhas de conscientização da doação de órgãos. Dia 27 de setembro também é o dia nacional da doação de órgãos. Esse dia foi escolhido inclusive por ser o dia de São Cosme e São Damião, padroeiros do transplante“.

Ela destaca que as pessoas precisam falar sobre esse assunto porque ainda existe uma recusa familiar muito grande: “é importante lembrar que não basta você ter na sua carteira de motorista ou na sua carteira de identidade que você é doador, porque a legislação brasileira não permite s doação se não tiver uma autorização familiar. Por isso, é importante todos terem essa noção e conversar com a sua família sobre o assunto, apesar de ser delicado, para caso aconteça, infelizmente, um fato e você possa doar, a família autorize essa doação“.

Maria Izabel diz ainda que o tema não deve ser lembrado apenas em setembro, mas o ano inteiro: “é preciso toda uma campanha para as pessoas entenderem o que é uma doação de órgãos, que isso só acontece quando ocorre uma morte encefálica. São só em situações irreversíveis“, explicou.

Ações do Setembro Verde

Para potencializar o número de doações, a campanha Setembro Verde, alusiva ao Dia Nacional da Doação de Órgãos, que se comemora no próximo dia 27, terá ações de conscientização realizadas pelo PET, como a iluminação do Palácio Guanabara entre os dias 22 e 30, bem como o Cristo Redentor – que será iluminado de verde no dia 27 de setembro, das 19h às 20h.

Neste domingo (25/09), Copacabana vai receber uma ação para conscientizar e incentivar a doação de órgãos, das 9h às 13h. Organizado pela Sociedade de Nefrologia do Estado do Rio (Sonerj), o evento terá atividades como um quiz sobre o tema, brincadeiras com as crianças e distribuição de balões. Uma equipe vai divulgar informações sobre questões da doação de órgãos, como a necessidade de que os familiares saibam do desejo de cada pessoa.

O DIÁRIO também entrou em contato com a secretaria municipal de Saúde do Rio, que informou que não há nada específico para o tema no momento.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui