RJ concentra 30% dos roubos de carga do país e 75% de alimentos e bebidas

Pesquisa mostra que houve aumento nesta prática criminosa no Estado do Rio de Janeiro

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp

Somente no primeiro semestre deste ano, o Brasil registrou 17.230 eventos de roubos de carga, um aumento de 5,5% comparado com o mesmo período de 2022, com São Paulo e Rio de Janeiro representando 76% das ocorrências. Os dados são apresentados pelo Centro de Inteligência da Overhaul, no informe “Brasil: Relatório Trimestral de Roubo de Carga”. A Overhaul é a única empresa de software de gerenciamento de riscos e visibilidade da cadeia de suprimentos independente de dispositivos.

Segundo os dados da empresa, o Estado do Rio de Janeiro voltou a apresentar uma tendência de aumento dos roubos de carga, com uma alta de 3 pontos percentuais comparando o segundo trimestre deste ano com o mesmo período de 2022.

Chama atenção no levantamento as ocorrências envolvendo alimentos e bebidas: 91% dos casos dessa categoria se concentraram no sudeste e, destes, 75% no Estado do Rio de Janeiro, com as cidades de Duque de Caxias, São João do Meriti e Rio de Janeiro responsáveis por 67%.

De acordo com o estudo, 87% dos roubos se concentram nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Goiás. Tais dados, presentes no relatório, apontam a concentração nestas regiões como estável nos últimos anos, indicando forte relação dos roubos com os locais de maior circulação de mercadorias. O informe, porém, sinaliza que o maior crescimento de roubos no segundo trimestre ocorreu na Bahia, que passou de 1% a 5% dos eventos em todo o país no período de um ano.

Advertisement

Os 10 estados com maior número de roubos (São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Bahia, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Mato Grosso, Pernambuco, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul), representam 98% dos casos ocorridos no segundo trimestre deste ano. Aqueles da região Sudeste somam 79% neste período – não muito diferente do primeiro trimestre, em que a concentração foi de 80%. Já o Centro-Oeste, representado na lista por Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, tem um índice de 3%, uma queda de 5% nas incidências em comparação ao período anterior. Em contrapartida, a região Sul volta a aparecer em segundo lugar, com 10% dos roubos, demonstrando um padrão de atuação das quadrilhas.

Soluções

De acordo com a Overhaul, além da importância do aprimoramento do uso da tecnologia a bordo dos veículos, a contratação de profissionais qualificados é essencial para coibir esse tipo de crime. As organizações que operam o transporte e armazenagem de cargas devem apostar em especialistas em gestão de riscos da cadeia de suprimentos, uma vez que são estes que planejam e organizam ativamente as viagens.

A companhia ainda recomenda um planejamento organizado das rotas de transporte, com pontos de paradas seguros e frotas com tecnologia de rastreamento, assim como a adoção de múltiplas camadas de proteção que precisam ser estrategicamente identificadas e empregadas para cada operação.

Dados conflitam com os divulgados pelo Governo do RJ

No início da semana, o Governo do Rio de Janeiro divulgou uma série de números relativos a crimes contra o patrimônio no mês de agosto deste ano. O destaque foi para os roubos de carga, que, segundo o Poder Público, atingiram o menor número de ocorrências para o mês de agosto dos últimos nove anos, com apenas 154 casos, representando uma queda de 57% em comparação com o mesmo período do ano anterior. No acumulado, a diminuição foi de 6%. Foi o 

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp RJ concentra 30% dos roubos de carga do país e 75% de alimentos e bebidas
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui