Foto Cleomir Tavares / Diario do Rio

O projeto de um sistema de transporte aquaviário que ligaria o Porto do Açu a Paraty, passando pelo Rio de Janeiro, está sendo analisado pelo governador Cláudio Castro. O texto tem autoria a Companhia de Desenvolvimento Rodoviário e Terminais (Coderte). As informações são do Diário do Porto.

O projeto inclui a construção de um grande Terminal Marítimo Fundão/Galeão para atender aos usuários do Aeroporto Internacional e realizar a conexão marítima entre a Praça XV e a Enseada de Botafogo, na Zona Sul. O modelo de financiamento seria por meio de Parceria Público Privada (PPP).

O sistema prevê a implantação de terminais nas cidades de São João da Barra, Macaé, Búzios, Cabo Frio, Arraial do Cabo, Maricá, Saquarema, Rio de Janeiro, Itaguaí, Mangaratiba, Angra dos Reis e Paraty. Já na capital, seriam cinco estações: na Ilha do Fundão/Galeão, Praça XV, Botafogo, Forte de Copacabana, Barra da Tijuca/Recreio.

As rotas do novo sistema seriam divididas em três categorias: turística, logística/carga e mobilidade urbana.

A maior obra seria a construção do Terminal Integrado à Estação do BRT Aroldo Melodia, que atenderia a comunidade estudantil da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e os passageiros e funcionários das empresas e prestadores de serviços instalados no Aeroporto Internacional do Galeão.

Em uma área total de três mil m², seriam instalados uma sala de embarque com 500 m² com vista panorâmica para o mar, café, restaurantes e um grande aquário lateral que possibilitaria a observação dos peixes da Baía de Guanabara.

5 COMENTÁRIOS

  1. Para um estado que está em recuperação fiscal, essa é uma maneira de levar algum dos empresarios que vão concerteza entrar na roda dos amigos, alguns como laranjas né? JÁ VIMOS ESSE TIPO DE FILME ANTES. CICLO VIA E TAL. CAIU NÉ? A INTERNET ESTÁ DE OLHO.?? TIPO O GRANDE IRMÃO.

  2. O governo do Estado do Rio não cuida das obras em andamento , exemplo ponte da íntegracão entre os municípios de Campos, São João da Barra e São Francisco de Itabapoana que já fazem mais de 20 anos construindo , como vai realizar um projeto que envolve milhões em regiões com graus de dificuldades muito maiores.
    Esse projeto é coisa de sonhadores.
    Acorda Brasil, vamos cuidar primeiro do que é simples pra depois sonhar e pensar em novos projetos.
    Esse é o Brasil do descaso.

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui