Romário e Marcos Braz são alvos de investigação no STF por desvio de verba no RJ

Polícia Federal investiga suposto esquema de corrupção na Secretaria Municipal de Esportes do Rio

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
(Foto: Reprodução)

O senador Romário (PL) e o vereador do Rio de Janeiro, Marcos Braz, que também é vice-presidente de futebol do Flamengo, foram citados em um inquérito da Polícia Federal por envolvimento em suposto esquema de desvio de dinheiro de projetos de esportes da Prefeitura do Rio . As acusações surgiram a partir da delação premiada do empresário Marcus Vinícius Azevedo da Silva.

Segundo Marcus Vinícius, o vereador era o responsável pelo recolhimento de valores desviados no esquema que envolveu uma ONG para “favorecimento ilícito de Romário”. Segundo reportagem do Uol, o esquema envolvia a Secretaria Municipal de Esportes do Rio, pasta ocupada por Marcos Braz entre 2015 e 2016.

De acordo com o delator, a ONG Centro Brasileiro de Ações Sociais para Cidadania recebia recursos por meio de contratos com a secretaria de Esportes superfaturados. Em dois contratos, a ONG recebeu cerca de R$13 milhões.

Advertisement

O primeiro contrato, de R$ 4,5 milhões, foi assinado em julho de 2015 para a gestão da Vila Olímpica do Greip (Grêmio Recreativo e Esportivo dos Industriários da Penha), na zona norte carioca. O segundo, de R$ 8,5 milhões, assinado em novembro de 2015, foi para a administração da Vila Olímpica Nilton Santos, no bairro da Ilha do Governador.

Em nota, Romário informou que os fatos narrados na delação não condizem com a realidade. “A delação do Sr. Marcus Vinícius Azevedo da Silva é baseada em fatos que não condizem com a realidade, tanto é que o STJ anulou na semana passada o recebimento da denúncia fundada na versão dada pelo réu confesso que, para tentar barganhar qualquer benefício com a Justiça, tenta criar fatos que não ocorreram”, diz trecho.

Já Marco Braz, ainda não se manifestou.

Operação Catarata

Após uma série de reviravoltas no caso relacionado à Operação Catarata, que investiga suspeitas de desvios de recursos em projetos sociais da Prefeitura do Rio e do governo estadual, a denúncia que antes tramitava no Superior Tribunal de Justiça (STJ) agora avança no Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ).

Inicialmente, a denúncia havia sido anulada pelo STJ e encaminhada para análise na 26ª Vara Criminal do TJRJ. Contudo, no último dia 14, a juíza Ana Helena Mota Lima Valle decidiu aceitar a denúncia contra 24 réus, incluindo Marcus Vinícius Azevedo da Silva, implicado no caso. A magistrada justificou sua decisão afirmando considerar os crimes apontados nas investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro “gravíssimos”.

O processo, que retornou à esfera estadual para nova análise, ganha novo fôlego com a aceitação da denúncia pela juíza. A delação de Marcus Vinícius, que veio à tona após a abertura desse processo, torna-se um dos elementos centrais na investigação em curso.

Com a continuidade do processo no TJRJ, espera-se que novos desdobramentos e detalhes venham à tona, lançando luz sobre a complexidade e gravidade das acusações que envolvem o desvio de recursos em projetos sociais no Rio de Janeiro.

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Romário e Marcos Braz são alvos de investigação no STF por desvio de verba no RJ
Advertisement

4 COMENTÁRIOS

  1. Esse vagabundo analfa q não serve pra nada,só se elegeu por completa falta de opção!!!Agora além de só abrir a boca pra falar abobrinhas ridículas é corrupto tbm?Cassa essa mula!!

  2. Claro que tem politicos honestos, posso citar muitos, deixa ver, hum, hahaha, pensando, pensando…
    Agora não me lembro de nenhum…
    Lembrei, os mortos, esses não afanam mais !! Nóis merece…

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui