#RuasdoRio: quem foi Pinheiro Machado?

O DIÁRIO DO RIO conta mais uma história por trás dos personagens que dão nome às ruas da Cidade Maravilhosa. Dessa vez, chegamos à Laranjeiras

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Rua Pinheiro Machado (Foto: Reprodução Redes Sociais)

A Rua Pinheiro Machado é uma das mais importantes do bairro de Laranjeiras. A sua extensão passa pela Rua Farani, no vizinho Botafogo, indo até o Túnel Santa Bárbara, que liga a Zona Norte e o Centro da Cidade a Zona Sul do Rio de Janeiro.

Na Pinheiro Machado, ficam importantes e históricos prédios e locais da cidade, como o Palácio Guanabara, sede do governo estadual, a centro de treinamentos do Fluminense, famoso estádio das Laranjeiras, o consulado alemão e a Universidade Santa Úrsula, além das Faculdades Integradas Hélio Alonso (Facha) e do edifício da Fundação Getúlio Vargas (FGV), já no limite com a Praia de Botafogo.

Por abrigar a alta cúpula do administração estadual, a Pinheiro Machado constantemente é palco de protestos, onde os manifestantes se reúnem justamente em frente ao Palácio Guanabara.

Advertisement
SERGIO CASTRO - A EMPRESA QUE RESOLVE, desde 1949
Com mais de meio século de tradição no mercado imobiliário do Rio de Janeiro, a Sergio Castro Imóveis – a empresa que resolve contribui para a valorização da cultura carioca

Mas afinal, quem foi Pinheiro Machado?

José Gomes Pinheiro Machado foi um político gaúcho nascido na cidade Cruz Alta, no Rio Grande do Sul. É considerado um dos mais influentes da República Velha período que provocou grandes transformações no Estado brasileiro.

25240784 #RuasdoRio: quem foi Pinheiro Machado?
José Pinheiro Machado (Foto: Reprodução Portal do Senado)

lutou como voluntário na Guerra do Paraguai e se formou em Direito em São Paulo. Em tempos de monarquia, foi um dos fundadores do jornal paulista A República e se tornou um ferrenho opositor do Império.

Com a proclamação da República, Pinheiro Machado foi eleito senador pelo Rio Grande do Sul em 1890. No Senado, tornou-se presidente da poderosa Comissão de Verificação, que tinha a função de definir quais candidatos eleitos pelo voto poderiam tomar posse.

A personalidade forte renderam a Pinheiro Machado muitos inimigos políticos e a ira de setores da imprensa. Um dos jornais que faziam mais críticas ao senador era o carioca Correio da Manhã, de Edmundo Bittencourt.

A rivalidade chegou a tal ponto que os dois marcaram um duelo, em 1906, na Praia de Ipanema. A ata que definiu as regras do duelo foi lavrada no Senado, com a presença de testemunhas. O senador Paulo Duque, do PMDB do Rio, falecido em 2020, disse certa vez que Pinheiro Machado atirou para o alto depois que Edmundo Bittencourt errou o primeiro tiro.

Pinheiro Machado foi assassinado em setembro de 1915, foi atacado no saguão do Hotel dos Estrangeiros, no Flamengo.

O crime gerou uma enorme comoção nacional. Com a sua morte, o Partido Republicano Conservador, do qual era presidente, praticamente desapareceu.

* Com informações da Rádio Senado

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp #RuasdoRio: quem foi Pinheiro Machado?
Advertisement

1 COMENTÁRIO

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui