Organizadores de eventos estão apostando todas as fichas no Réveillon para recuperar as perdas econômicas ao longo dos últimos meses, já que o setor foi afetado em cheio pela pandemia de covid-19. E se Copacabana não terá a tradicional queima de fogos como acontece há décadas, em outros pontos da cidade a “ferveção” deve correr solta. Algumas festas já estão confirmadas e os ingressos estão sendo vendidos a todo vapor. Uma delas é a “White Rooftop Reveillon”, no Hotel Nacional, em São Conrado, com convites a partir de R$ 759. O evento terá cascata de fogos, Samba de Santa Clara e vários DJs.

Na Barra, o “Réveillon Sal”, no Rio Beach Club, será animado pelo cantor Vitão. Os ingressos custam a partir de R$ 605. Quem preferir romper o ano nas alturas pode escolher a festa “A Grande Virada”, no Morro da Urca. O agito open bar está sendo organizado pela Party Industry e custa a partir de R$ 695. No Alto da Boa Vista, zona norte da cidade, o badalo que promete dar o que falar é a que vai acontecer na Mansão Deep Please, encabeçada pelo DJ Illusionize. Custa a partir de R$ 473.

Mas e o coronavírus?

Até a virada do ano sabemos que não haverá ainda vacinação em massa para combater a covid-19. Alguém tem dúvidas de que as regras de distanciamento social e uso de máscaras serão devidamente ignoradas – infelizmente – nestas celebrações?

Como seria a comemoração dos 100 anos de Florinda Barbosa

Leleco Barbosa já estava com tudo preparado para comemorar os 100 anos da mãe, Florinda Barbosa, quando recebeu a notícia do seu falecimento por parada cardíaca. Uma pequena confraternização iria acontecer neste sábado (17/10), na própria casa da aniversariante, reunindo a nora, Maninha, e os netos. Estava certo também que a viúva de Chacrinha receberia telefonemas dos cantores Roberto Carlos e Wanderléa. Florinda, lamentavelmente, partiu na véspera…  

Eataly carioca: projeto cada vez mais distante

Sucesso em cidades como Nova York, Chicago e Roma, o Eataly – complexo de restaurantes e mercado – não chegará ao Rio tão cedo. A ideia surgiu em 2016, logo após São Paulo ganhar uma unidade (a primeira e única do Brasil). Quatro anos depois, nada do projeto sair do papel. As negociações, que já estavam frias, foram esquecidas de vez com a pandemia. Na época, chegaram a cogitar do Eataly carioca ser na zona portuária ou na Barra da Tijuca.

Prêmio Yedda Maria Teixeira: cerimônia virtual no próximo dia 8

A cerimônia de entrega do Prêmio Yedda Maria Teixeira 2020 será no dia 8 de novembro, às 17h, com transmissão via YouTube, na página da Associação dos Embaixadores de Turismo do Rio de Janeiro. Entre os agraciados estão o professor, jornalista e escritor Arnaldo Niskier (Empreendedorismo); a médica Margareth Dalcolmo (Personalidade); e a Câmara de Comércio e turismo LGBT do Brasil (Diversidade). 

Maria Beltrão lança seu primeiro livro

Maria Beltrão, apresentadora da GloboNews, acaba de lançar seu primeiro livro, “O amor não se isola – Um diário com histórias, reflexões e algumas confidências”. Com prefácio de Octavio Guedes e orelha feita por Christiane Pelajo, a publicação foi escrita durante a quarentena. A obra já está à venda no site da editora Máquina de Livros e na Amazon.

Home office: nem tudo são flores…

Especialista em síndrome de Burnout, o neurocientista José Fernandes Vilas relata que os casos de esgotamento profissional dispararam com o isolamento social e o home office impostos pela pandemia. “As pessoas que estão trabalhando remotamente dizem que a falta de separação entre trabalho e vida pessoal está impactando negativamente seu bem-estar”, afirma.

De acordo com Vilas, muitas delas relatam que o deslocamento para o trabalho (as vezes com mais de 1h de duração no trânsito) servia como válvula de escape. “Os indivíduos perderam isso. E ao trabalhar em casa, geralmente o expediente começa mais cedo e termina mais tarde que o normal”, diz. O profissional destaca também que “a interrupção brusca de vínculos pessoais no trabalho é semelhante ao divórcio e não raramente traz feriadas de difícil cicatrização”.

TRÊS PERGUNTAS PARA O ADVOGADO PEDRO SENNA

Com 30 anos de carreira, Pedro Senna é sócio do escritório Schmidt, Lourenço e Kingston Advogados. Atualmente, uma de suas principais atividades é assessorar a diretoria executiva da Casa da Moeda do Brasil em questões trabalhistas. A coluna conversou com o especialista para falar sobre os impactos da pandemia de covid-19 na área jurídica e as perspectivas para 2021. Confira:

A pandemia fez aumentar o número de ações trabalhistas? Ou, por conta do isolamento social, há uma demanda reprimida?

Senna: Com certeza é possível que haja sim uma “demanda reprimida”, que não sabemos se, de fato, se materializará. Houve um número crescente de desempregados no curso da pandemia mas que, até o momento, não refletiu no volume das demandas trabalhistas em 2020, que pelas estatísticas oficiais permanecem em queda relativamente aos anos imediatamente anteriores. Segundo dados do Tribunal Superior do Trabalho, o volume de ações continua em queda de aproximadamente 35% aos anos anteriores. Portanto, é difícil avaliar se, de fato, haverá no curto/médio prazo aumento significativo de ações na Justiça do Trabalho. Nesse aspecto, teremos de esperar 2021 e o retorno das atividades presenciais para melhor sentir a tendência.

Desde a aprovação da Reforma Trabalhista em 2017, quais foram as principais mudanças que você notou em relação a esse tipo de processo?

Senna: Ao meu ver, sem dúvida alguma, o mais relevante foi a mudança de cultura no que toca ao ajuizamento desse tipo de processo, provocada por inúmeras questões decorrentes da reforma de 2017, sendo a principal delas o estabelecimento da sucumbência, que nada mais é do que a responsabilidade do perdedor pelo pagamento das custas processuais, periciais e honorários advocatícios. Essa situação implicou numa maior reflexão por parte do empregado quanto aos seus supostos direitos. Hoje, de modo geral, o que se percebe é que as demandas trabalhistas, quando materializadas, se concentram naquilo que realmente é objeto de controvérsia, diferentemente do momento anterior à reforma.

Quais são suas perspectivas para 2021 na área jurídica? Alguma tendência/aumento de demanda em determinada área?

Senna: A persistir a pandemia e seus perversos efeitos, muito provavelmente haverá um acréscimo de demandas, não só no âmbito da Justiça do Trabalho, mas em todas de modo geral. Assim, a minha visão e recomendação do ponto de vista do Direito do Trabalho, levando-se em conta o que foi dito na resposta anterior, é que tanto patrões, como os empregados, fiquem atentos e cuidem das questões jurídico-trabalhistas que lhe são próprias e que realmente possam ser controversas, reorganizando melhor os seus negócios e estratégias.

…FIO…DA…MEADA…

*** Na próxima quarta-feira, 21 de outubro, Arlindinho Cruz fará show no Bar do Zeca Pagodinho, na Barra. Começa às 20h30. O couvert artístico é de R$ 25.

*** Ao som de violino e piano, a Casa Julieta de Serpa, no Flamengo, está promovendo jantar romântico às quintas-feiras, das 19h às 23h30. O menu especial (com entrada, prato principal e sobremesa) custa R$ 115 por pessoa.  

*** A partir de hoje, o Casa Shopping, na Barra, promove a feira Mercado de Raridades, com muitas antiguidades e itens de colecionismo – joias, tapetes, selos, moedas, discos etc. Será todos os sábados, das 13h às 19h, com entrada franca.

*** Rodrigo Pacheco assumiu o cargo de Superintendente de Carnaval da LIERJ (Liga das Escolas de Samba do Rio de Janeiro), responsável pelos desfiles das agremiações da Série A.

*** Fechado desde março, o Clube Manouche, no Jockey Club Brasileiro, voltará a funcionar no dia 5 de novembro.

*** Conceição Evaristo será a grande homenageada do 5º Festival de Poesia de Lisboa, que começa neste domingo, 18 de outubro, com transmissão online.

Fotos: Queima de fogos no Hotel Nacional – Divulgação / Leleco Barbosa e a mãe Florinda – Reprodução / Eataly – Divulgação / Arnaldo Niskier – Reprodução / Maria Beltrão – Reprodução / José Fernandes Vilas – Divulgação / Pedro Senna – Divulgação

Yuri Antigo
Formado em Jornalismo desde 2007, Yuri Antigo é um paulistano que ama e respira o Rio de Janeiro. Já assinou colunas nas revistas Go Where Rio e Go Where Luxo, além de já ter colaborado com a coluna Beira-Mar, da Veja Rio. Em 2008 criou o blog Society Carioca, que anos depois ganhou novo porte e passou a se chamar Society Rio-SP. Atua também como Consultor de Comunicação e Relações Públicas. Recebeu, em 2017, o título de Embaixador do Turismo do Rio de Janeiro.

5 COMENTÁRIOS

  1. […] Maria Beltrão, apresentadora da GloboNews, acaba de lançar seu primeiro livro, “O amor não se isola – Um diário com histórias, reflexões e algumas confidências”. Com prefácio de Octavio Guedes e orelha feita por Christiane Pelajo, a publicação foi escrita durante a quarentena. A obra já está à venda no site da editora Máquina de Livros e na Amazon. Este é um dos destaques da coluna de hoje no Diário do Rio. Confira o conteúdo completo aqui. […]

  2. […] Organizadores de eventos estão apostando todas as fichas no Réveillon para recuperar as perdas econômicas ao longo dos últimos meses, já que o setor foi afetado em cheio pela pandemia de covid-19. E se Copacabana não terá a tradicional queima de fogos como acontece há décadas, em outros pontos da cidade a “ferveção” deve correr solta. Algumas festas já estão confirmadas e os ingressos estão sendo vendidos a todo vapor. Uma delas é a “White Rooftop Reveillon”, no Hotel Nacional, em São Conrado, com convites a partir de R$ 759. Saiba mais na coluna de hoje no Diário do Rio! Conteúdo completo aqui. […]

  3. […] Organizadores de eventos estão apostando todas as fichas no Réveillon para recuperar as perdas econômicas ao longo dos últimos meses, já que o setor foi afetado em cheio pela pandemia de covid-19. E se Copacabana não terá a tradicional queima de fogos como acontece há décadas, em outros pontos da cidade a “ferveção” deve correr solta. Algumas festas já estão confirmadas e os ingressos estão sendo vendidos a todo vapor. Uma delas é a “White Rooftop Reveillon”, no Hotel Nacional, em São Conrado, com convites a partir de R$ 759. Saiba mais na coluna de hoje no Diário do Rio! Conteúdo completo aqui. […]

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui