Samba da Comunidade lança filme sobre a história de antigos carnavais de Itaguaí

O documentário que mostra o olhar de mulheres sobre os carnavais de Itaguaí, estreia dia 14 de fevereiro no Youtube. Celebra a história de Dona Moçota a personalidade carnavalesca mais importante da cidade

Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
Foto: Rafa Chlum

Neste mês, dia 14 de fevereiro, chega ao Youtube o documentário ‘Samba da Comunidade- Edição Bicentenário da Independência’, produzido pela Hacorda. A exibição será online, às 18h.

“Depois da Sapucaí o melhor Carnaval é Itaguaí!”, frase emblemática de Amarílio Viana, um dos maiores compositores de Itaguaí, pai da Kely Viana, uma das entrevistadas. O documentário permite que o espectador vivencie sobre um prisma de amor, resgate, respeito e reverência, a história do carnaval da cidade, através de uma grande personagem: Dona Moçota, mulher negra, periférica, percursora do movimento de samba dos carnavais de rua na década de 50, parte da história nunca contada de Itaguaí. A história onde mostra que Dona Moçota é Itaguaí.



Mariana Castro é a idealizadora do projeto, psicóloga, psicanalista, produtora e artista popular. O projeto para Mariana é uma forma de desenvolver o estudo, e a prática na saúde mental, apresentando a arte e a cultura como impulsionadores sociais.

O meu sentimento é de satisfação, em conseguir reunir tantas potências e dar visibilidade em uma parte valiosa de nossa história. Atuar nas ruas com estes elementos, percebendo pessoas emocionadas, com brilho nos olhos, contando que viveu nesta época e pode agora continuar. Isso é afirmar que podemos, sim, seguir exaltando nossos sambas, contagiando com a alegria mesmo diante dos desafios. Promover a vitalidade é o que nos faz continuar fazendo nossos cortejos e nossa arte“, explica Mariana Castro.


As vozes do documentário ‘Samba da Comunidade- Bicentenário da Independência” são das mulheres de Itaguaí que trazem em sua ancestralidade o carnaval. O espectador poderá assistir o lúdico, o carnavalesco e a força da cultura afro-brasileira na construção de nossas bases. Hacorda traz de forma reverente os atravessamentos sociais acerca da Independência, um trabalho de muita pesquisa e estudo da cientista social, Pamela Santos.

Advertisement

Leia também

Águas do Rio alega não saber sobre situação da Cedae mas presidente foi diretor da empresa – Bastidores do Rio

Antiga garagem da Silveira Martins é vendida por R$19,7 milhões a incorporadora

image 4 Samba da Comunidade lança filme sobre a história de antigos carnavais de Itaguaí
Foto: Rafa Chlum. O cortejo do Samba da Comunidade revive a força do Carnaval da cidade

A pesquisa do grupo reverberou na cidade e acendeu a chama que estava apagada. O Subsecretário de Cultura Willian Cezar parabeniza o trabalho.

“São dois anos de gestão que venho aprendendo, conhecendo e vivendo a cultura de Itaguaí. Ver um documentário idealizado e produzido por um coletivo feminino de Itaguaí, que conta a história da cidade, é incrível. Fico honrado em ser espectador desse momento. Itaguaí é e tem samba e muito samba. Ver a força de nossa cidade através de tantos olhares é indescritível, ainda mais se tratando da história da maior personagem do carnaval e da periferia de Itaguaí, Dona Moçota”, parabeniza o subsecretário, Willian Cezar.

O movimento em resgatar a História dos carnavais veio da Mariana de Castro, na exposição “O Rio do Samba, resistência e reinvenção”.

“Eles apresentaram um mapa da história do samba e não tinha nada da história de Itaguaí e ai fui questionar isso, por que não haver? Afinal, eu vivi isso, os carnavais, as histórias. O curador Marcelo Campos, falou que não estava chegando lá, e se há história, nós precisamos dar visibilidade ao material. Ali, na provocação dele começa essa minha trajetória em querer trabalhar nesse resgate”, explica Mariana.

O movimento Samba da Comunidade inova com um coletivo que a grande maioria é feminina, e traz como objetivo os valores e a história de Itaguaí. Uma das pessoas chave para o documentário, foi Pamela Santos, mestranda em Ciências Sociais, trabalha com estudos sobre cultura e periferia. Assumiu no ano de 2022 o roteiro e a pesquisa do projeto, com o intuito de acompanhar o olhar das mulheres no carnaval Itaguaiense. Mas principalmente ouvir sobre outros caminhos que a história de Itaguaí poderia apresentar a partir deste novo olhar.





Advertisement
Receba notícias no WhatsApp
entrar grupo whatsapp Samba da Comunidade lança filme sobre a história de antigos carnavais de Itaguaí

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui