São Conrado irá ganhar novos empreendimentos em 2023

Rede D’Or vai iniciar a construção da Maternidade Star, que vai ocupar 22 mil metros quadrados da Rua Jaime Silvado, Fashion Mall ganhará novo centro médico, restaurantes, entre outras novidades, e Hotel Intercontinental será transformado em imóvel residencial com serviços

Foto: Divulgação

O ano de 2023 já está chegando e com ele também vem novidades para São Conrado. A partir do ano que vem, começam as obras da Maternidade Star, da Rede D’Or, que vai ocupar 22 mil metros quadrados na Rua Jaime Silvado, número 8, em frente ao Fashion Mall. Além desse novo espaço, outra mudança irá acontecer na região, pois a Gafisa planeja revitalizar o Fashion Mall e criar um centro médico no terceiro andar, além de construir uma torre residencial sobre o local. O Hotel Intercontinental também entra nessa mudança e pode dar lugar a um grande residencial com serviços.

O terreno que será ocupado pela Maternidade Star foi adquirido entre 2018 e 2019 e a construção que estava no local foi demolida. A previsão é que o hospital seja inaugurado apenas em 2025.

Serão oito pavimentos: dois subsolos (um com garagem e outro com restaurantes), o térreo e cinco andares. No total, a maternidade vai oferecer 135 leitos, sendo dez de UTI para adultos; 30 de UTI neonatal individualizados, para receber o bebê e seu acompanhante com privacidade; 30 de maternidade e dez de Unidade Semi-Intensiva. Os demais são apartamentos (sendo três suítes de luxo, com antessala para visitas) e leitos de internação de ginecologia e outros procedimentos.

Bruno Alencar, diretor executivo das maternidades da Rede D’Or, diz, ao O Globo, que é uma oportunidade única porque São Conrado não tem nenhum hospital. “Já havíamos identificado uma necessidade de ampliar o número de leitos de maternidade no Rio. Acabamos de inaugurar uma Maternidade Star em São Paulo e agora vamos trazer o mesmo conceito para cá”, comenta Alencar.

O empreendimento, com a proposta de integração à natureza, será totalmente voltado para as mulheres, com pronto-atendimento e exames de ressonância magnética, tomografia, ultrassonografia, mamografia, estereotaxia e densitometria. O centro obstétrico terá quatro salas do tipo Delivery Room (para pré-parto, parto e pós-parto), para partos naturais, e quatro obstétricas, três para cesarianas e uma para intercorrências em partos naturais. O projeto contará ainda, com um segundo centro cirúrgico, com pelo menos cinco salas dedicadas às demais cirurgias femininas, um salão de beleza e espaço para massagens, fisioterapia e outras terapias.

Foto: Divulgação

“Teremos um centro cirúrgico para plástica, ortopedia, cirurgias de mama, diagnósticos em medicina fetal e cirurgia fetal, entre outros procedimentos. A Delivery Room é uma estrutura que busca humanizar o parto e em que o recém-nascido não é retirado do contato com a mãe. Antigamente, o parto normal não era aconselhado pela falta de estrutura das maternidades, mas agora estamos ampliando esse serviço. Eu, como obstetra, incentivo os partos naturais, e eles voltaram a crescer nas estatísticas”, detalha o diretor.

Para alinhar o projeto com os moradores do bairro, reuniões têm sido promovidas no Fashion Mall. A Associação de Moradores e Amigos de São Conrado (Ama São Conrado) afirma que o projeto é alinhado ao perfil de alto padrão do bairro e conta que foram apresentadas sugestões aos representantes da Rede D’Or.

Raphael Nigri, diretor da Ama São Conrado, diz, ao O Globo, que uma grande oportunidade está em desenvolvimento de uma área importante ao bairro. “Apresentamos soluções viárias e de macrodrenagem a serem consideradas pelos investidores, que representariam, certamente, melhorias de enorme impacto para todos os moradores do bairro e, também, para a principal via de ligação entre Zona Sul e Barra”, diz Nigri.

Fashion Mall e Hotel Intercontinental

Além da maternidade, um investimento de R$50 milhões será inserido no bairro. No fim do ano passado, a Gafisa anunciou que pretende investir na criação de um centro médico no terceiro andar do Fashion Mall. O segundo andar ganhará novos restaurantes e alguns estabelecimentos de São Paulo negociam espaço. Em reuniões realizadas com moradores, a construtora adiantou que planeja ainda erguer uma torre residencial sobre o centro comercial.

O antigo Hotel Intercontinental, por sua vez, deverá ser adaptado para funcionar como um residencial com serviços e ganhar mais quatro prédios de até quatro ou cinco pavimentos, em uma reforma que deve durar cerca de três anos.

O pedido de retrofit foi feito à prefeitura pelo Brazilian Hospitality Group (BHG) e pela Sigma Engenharia. O empreendimento deve ter 418 apartamentos; e os prédios anexos, gabarito menor. O projeto paisagístico será do Escritório Burle Marx. No momento, a Gafisa negocia a compra do imóvel.

Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui