Sara Rodrigues: Cate Blanchett é essência de “Tár”, filme indicado ao Oscar 2023

Como em todos os anos, a Academia surpreende com indicações ao Oscar de filmes que não tiveram tanta repercussão durante suas gravações

Como em todos os anos, a Academia surpreende com indicações ao Oscar de filmes que não tiveram tanta repercussão durante suas gravações. Esse é o caso de Tár, de Todd Field, que chega aos cinemas nesta quinta-feira (26). A questão é que o filme passou por festivais, mas como costuma acontecer não ganhou tanta repercussão… até agora.

O filme percorre acontecimentos da vida de Lydia Tár, uma maestrina renomada e muito respeitada por seu talento. Após uma aula polêmica em uma universidade em Nova York, Tár retorna para Berlim e enfrenta problemas conjugais, sofre críticas no trabalho e retaliação por conta de suas opiniões e atitudes. É nesta linha que a narrativa caminha e leva o público a tomar decisões sobre o próprio sentimento em relação à personagem.

Com uma excelente condução musical, afinal é o que se espera de um filme sobre uma regente, o filme é extremamente melancólico. Cate Blanchett incorpora as paixões, desejos e vergonhas de Tár e nos mostra a verdadeira face de uma artista despedaçada por dentro enquanto exibe as maiores honrarias para alguém em sua posição. Indicada ao Oscar de Melhor Atriz, ela pode ser uma das favoritas à estatueta dourada. Apesar de ter sido premiada como melhor atriz em filme de drama pelo Globo de Ouro, não é a minha favorita.

Todd Field é quem pode levar a melhor na premiação. O diretor e roteirista soube orquestrar toda a história. É algo fantástico como todas as áreas conversam bem, e mesmo em momentos que parece que a história deixará pontas soltas, logo em seguida as explicações ficam às claras. Realmente é um filme bem feito.

A verdade é que Tár nos coloca uma pulga atrás da orelha sobre a essência das pessoas. Por um lado Lydia Tár é uma maestrina fantástica com tanto talento, força e bravura. Por outro lado, ela é uma mulher misteriosa no que tange seus sentimentos e relacionamentos. Neste sentido, todas as ações nos levam a pensar quem é essa mulher que nos faz sentir amor e ódio?

Talvez esse questionamento não seja respondido, mas pelo menos nós sabemos que Cate Blanchett nos mostrou o que é realmente ser atriz. Tár está nos cinemas a partir desta quinta-feira (26).

Advertisement
irmandade lapa dos mercadores Sara Rodrigues: Cate Blanchett é essência de “Tár”, filme indicado ao Oscar 2023
Avatar photo
Jornalista, produtora e apresentadora do podcast cineaspectos. Como amante do cinema, ficou imersa em roteiros fantásticos, conheceu a beleza dos filmes de máfia e os incompreendidos dramas europeus. Sara adora desbravar a singularidade do cinema brasileiro, e acompanha de perto os principais festivais e mostras ao redor do mundo.
Advertisement

Comente

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui